Cerca de 90% dos países africanos não alcançarão metas de vacinação - OMS

  • Logomarca da Organização Mundial da saúde (OMS)
Joanesburgo - Cerca de 90% dos países africanos vão fracassar no objectivo mundial de vacinar um décimo da população até Setembro, se não receberem urgentemente pelo menos 225 milhões de vacinas, alertou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Só sete países africanos (de um total de 54) têm a possibilidade de alcançar o objectivo", declarou Matshidiso Moeti, directora da OMS para a África, em conferência de imprensa online.

"Se a maiora dos países quiser respeitar esse prazo, serão necessárias urgentemente pelo menos 225 milhões de vacinas", acrescentou.

África conta oficialmente com quase cinco milhões de casos de coronavírus e está sob a ameaça iminente de uma terceira vaga de covid-19. Segundo a OMS, as novas infecções aumentam "de uma semana para a outra".

"A pandemia tende a aumentar em 10 países africanos, quatro dos quais registam um aumento de mais de 30% nos últimos sete dias, em comparação com a semana anterior", alertou a instituição em comunicado.

Cerca de três quartos dos novos contágios foram registados no Egipto, África do Sul, Tunísia, Uganda e Zâmbia.

Só 2% dos 1,3 biliões de africanos receberam uma injecção e apenas 9,4 milhões de africanos estão totalmente vacinados.

Diante dessa situação, a OMS pediu mais uma vez aos países ricos para partilharem os imunizantes. É uma questão "de vida ou morte", reiterou Moeti.

"Só sete países africanos (de um total de 54) têm a possibilidade de alcançar o objectivo", declarou Matshidiso Moeti, directora da OMS para a África, em conferência de imprensa online.

"Se a maiora dos países quiser respeitar esse prazo, serão necessárias urgentemente pelo menos 225 milhões de vacinas", acrescentou.

África conta oficialmente com quase cinco milhões de casos de coronavírus e está sob a ameaça iminente de uma terceira vaga de covid-19. Segundo a OMS, as novas infecções aumentam "de uma semana para a outra".

"A pandemia tende a aumentar em 10 países africanos, quatro dos quais registam um aumento de mais de 30% nos últimos sete dias, em comparação com a semana anterior", alertou a instituição em comunicado.

Cerca de três quartos dos novos contágios foram registados no Egipto, África do Sul, Tunísia, Uganda e Zâmbia.

Só 2% dos 1,3 biliões de africanos receberam uma injecção e apenas 9,4 milhões de africanos estão totalmente vacinados.

Diante dessa situação, a OMS pediu mais uma vez aos países ricos para partilharem os imunizantes. É uma questão "de vida ou morte", reiterou Moeti.