Conferência sobre estabilidade na Líbia retoma trabalhos à porta fechada

Trípoli - Os participantes da Conferência Ministerial Internacional sobre a Iniciativa Líbia de Apoio à Estabilidade retomaram o trabalho à porta fechada em Trípoli, quarta-feira à tarde, segundo a PANA que cita fonte oficial.

A sessão de abertura de quinta-feira foi marcada por discursos do primeiro- ministro líbio, Abdelhamid al-Dbaiba, da ministra líbia dos Negócios Estrangeiros, Najla al-Mangouch, do seu homólogo do Koweit, Xeque Nasser Mohamed Al-Sabah, e da Secretária-Geral Adjunta das Nações Unidas para os Assuntos Políticos, Rosemary DiCarlo.

Insistiram na importância da estabilidade da Líbia e na necessidade de se organizar eleições na data marcada, bem como a saída de mercenários, combatentes e forças estrangeiras do território líbio.

Também constam dos assuntos colocados pela Iniciativa para a Estabilidade na Líbia a implementação do cessar-fogo, recomendações das conferências de Berlim I e II e resoluções das Nações Unidas, bem como a unificação do Exército para se renovar o compromisso dos países participantes de  traduzirem em factos estes desiderato.

Os trabalhos da Conferência Ministerial Internacional sobre Apoio à Estabilidade na Líbia começaram com a participação de 28 países, com o objectivo de mobilizar o apoio da comunidade internacional ao processo político líbio com vista a um desfecho airoso, que culmine com as eleições gerais em 24 de Dezembro próximo.

A sessão de abertura de quinta-feira foi marcada por discursos do primeiro- ministro líbio, Abdelhamid al-Dbaiba, da ministra líbia dos Negócios Estrangeiros, Najla al-Mangouch, do seu homólogo do Koweit, Xeque Nasser Mohamed Al-Sabah, e da Secretária-Geral Adjunta das Nações Unidas para os Assuntos Políticos, Rosemary DiCarlo.

Insistiram na importância da estabilidade da Líbia e na necessidade de se organizar eleições na data marcada, bem como a saída de mercenários, combatentes e forças estrangeiras do território líbio.

Também constam dos assuntos colocados pela Iniciativa para a Estabilidade na Líbia a implementação do cessar-fogo, recomendações das conferências de Berlim I e II e resoluções das Nações Unidas, bem como a unificação do Exército para se renovar o compromisso dos países participantes de  traduzirem em factos estes desiderato.

Os trabalhos da Conferência Ministerial Internacional sobre Apoio à Estabilidade na Líbia começaram com a participação de 28 países, com o objectivo de mobilizar o apoio da comunidade internacional ao processo político líbio com vista a um desfecho airoso, que culmine com as eleições gerais em 24 de Dezembro próximo.