Covid-19/África do Sul: Presidente garante vacinas para a maioria dos adultos

  • Vacina contra a Covid-19
Pretória (Da correspondente) - O Presidente sul-africano disse esta segunda-feira que o seu Governo vai assegurar vacinas para a grande maioria dos adultos do país até ao final do ano 2021.

Cyril Ramaphosa que escreveu na edição desta semana do seu boletim informativo no Twitter, reafirmou ser crucial que as pessoas alvos sejam inoculadas.

 

"A nossa prioridade nesta fase é vacinar todos os cinco milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Esta semana planeamos também começar a vacinar meio milhão de educadores e outros no sector, uma vez que o seu trabalho requer contacto social e é vital para as nossas crianças, economia e o nosso futuro", afirmou.

 

Para o Presidente, é necessário que todos trabalhem para assegurar um lançamento rápido e suave da campanha de vacinação, e apelou aos mais habilitados, a ajudarem os próprios familiares, amigos, vizinhos ou empregados que necessitem de apoio durante o registo e acesso aos locais de vacinação.

 

"Só iremos conter eficazmente esta doença quando conseguirmos vacinar em grande escala", disse, recordando que o país já passou por muitas dificuldades no passado e essas foram superadas com estratégias apropriadas e implementadas com trabalho conjunto.

Cyril Ramaphosa que escreveu na edição desta semana do seu boletim informativo no Twitter, reafirmou ser crucial que as pessoas alvos sejam inoculadas.

 

"A nossa prioridade nesta fase é vacinar todos os cinco milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Esta semana planeamos também começar a vacinar meio milhão de educadores e outros no sector, uma vez que o seu trabalho requer contacto social e é vital para as nossas crianças, economia e o nosso futuro", afirmou.

 

Para o Presidente, é necessário que todos trabalhem para assegurar um lançamento rápido e suave da campanha de vacinação, e apelou aos mais habilitados, a ajudarem os próprios familiares, amigos, vizinhos ou empregados que necessitem de apoio durante o registo e acesso aos locais de vacinação.

 

"Só iremos conter eficazmente esta doença quando conseguirmos vacinar em grande escala", disse, recordando que o país já passou por muitas dificuldades no passado e essas foram superadas com estratégias apropriadas e implementadas com trabalho conjunto.