COVID-19: África do Sul regista 18.503 novos casos nas últimas 24 horas

  • Ilustração do Covid-19
Pretória (Da correspondente) - A África do Sul totalizou hoje, sexta-feira, um milhão 296 mil e 806 casos positivos de Covid-19, após o registo de 18 mil 503 novos contágios nas últimas 24 horas, anunciou o ministro da Ssaúde, Zweli Mkhize, no seu habitual balanço.

O cumulativo de testes conduzidos até ao momento é de 7.433.571, dos quais 74.830 análises desde o ultimo relatório.

 

Durante a apresentação dos dados, o titular da pasta da Saúde disse que, nas últimas 24 horas, o país perdeu mais 712 vidas, sendo 232 na província do Kwazulu-Natal, 162 no Cabo Ocidental, 114 em Gauteng, 97 no Cabo Oriental, 50 na região Noroeste, 21 no Estado Livre, 15 no Cabo Setentrional, 11 no Limpopo e 10 em Mpumalanga. O país contabiliza actualmente um total de 35 mil 852 vítimas mortais.

 

Até ao momento, prosseguiu, 1.049.740 pessoas recuperaram da doença, correspondente a uma taxa de 80,9%. A África do Sul conta ainda com 211 mil 214 casos activos.

 

Devido ao aumento de casos da pandemia, o governo decidiu manter encerradas todas as escolas do país.

 

Entretanto, a vice-ministra para a Educação Básica, Reginah Mhaule, anunciou hoje, 15,  durante um briefing virtual, que todas as escolas do sector público e privado vão registar atraso de 15 dias no seu calendário.

 

"Os professores se farão presentes nos estabelecimentos de ensino a 1 de Fevereiro próximo, ao passo que os alunos retornarão na segunda-feira 15 de Fevereiro", explicou, acrescentando ainda que as escolas independentes irão anexar 15 dias aos seus calendários de abertura.

 

Pesquisas feitas esta semana pela Universidade de Johanesburgo e pelo Conselho de Ciências Humanas (HSRC) mostram que 53% dos inqueridos é de opinião que os estabelecimentos de ensino devem permanecer fechados até a normalização da situação no país.

 

 

O cumulativo de testes conduzidos até ao momento é de 7.433.571, dos quais 74.830 análises desde o ultimo relatório.

 

Durante a apresentação dos dados, o titular da pasta da Saúde disse que, nas últimas 24 horas, o país perdeu mais 712 vidas, sendo 232 na província do Kwazulu-Natal, 162 no Cabo Ocidental, 114 em Gauteng, 97 no Cabo Oriental, 50 na região Noroeste, 21 no Estado Livre, 15 no Cabo Setentrional, 11 no Limpopo e 10 em Mpumalanga. O país contabiliza actualmente um total de 35 mil 852 vítimas mortais.

 

Até ao momento, prosseguiu, 1.049.740 pessoas recuperaram da doença, correspondente a uma taxa de 80,9%. A África do Sul conta ainda com 211 mil 214 casos activos.

 

Devido ao aumento de casos da pandemia, o governo decidiu manter encerradas todas as escolas do país.

 

Entretanto, a vice-ministra para a Educação Básica, Reginah Mhaule, anunciou hoje, 15,  durante um briefing virtual, que todas as escolas do sector público e privado vão registar atraso de 15 dias no seu calendário.

 

"Os professores se farão presentes nos estabelecimentos de ensino a 1 de Fevereiro próximo, ao passo que os alunos retornarão na segunda-feira 15 de Fevereiro", explicou, acrescentando ainda que as escolas independentes irão anexar 15 dias aos seus calendários de abertura.

 

Pesquisas feitas esta semana pela Universidade de Johanesburgo e pelo Conselho de Ciências Humanas (HSRC) mostram que 53% dos inqueridos é de opinião que os estabelecimentos de ensino devem permanecer fechados até a normalização da situação no país.