Covid-19: China doa à Guiné-Bissau 100 mil doses de vacinas Sinopharm

  • Vacina contra à Covid-19
Bissau - A China ofereceu hoje (segunda –feira) à Guiné-Bissau 100 mil doses de vacina Sinopharm, que serão administradas a 50 mil guineenses, disse a alta -comissária contra a covid-19, Magda Robalo, que espera receber do mesmo país outras 200 mil doses.

"Assistimos hoje a mais um passo da longa cooperação entre a Guiné-Bissau e a República Popular da China. Este é o primeiro de mais donativos de vacinas que serão feitos à Guiné-Bissau", anunciou Magda Robalo.

A médica guineense disse ainda que nos próximos dois meses a China irá oferecer à Guiné-Bissau mais 200 mil doses da vacina Sinopharm.

"Queremos reiterar aqui, em nome do Governo e do Estado da Guiné-Bissau, a nossa profunda gratidão por este gesto de solidariedade para com o povo guineense no momento em que o país atravessa a sua pior crise de covid-19, desde Março de 2020", afirmou Magda Robalo.

Em representação do Governo guineense, a secretária de Estado da Cooperação Internacional, Ude Fati, elogiou "mais um gesto da China" em relação à Guiné-Bissau.

"Acreditamos que a ajuda chinesa trará um resultado importante para travar a preocupante progressão desta terrível pandemia na Guiné-Bissau", notou a governante guineense.

O embaixador da China na Guiné-Bissau, Guo Ce, explicou que a doação de vacinas à Guiné-Bissau acontece no âmbito da cooperação bilateral entre os dois países e reflecte "o apreço" do seu país para com o povo guineense.

"Este é apenas o primeiro de vários lotes de doações. Nos próximos meses, haverá mais doações chinesas de vacinas à Guiné-Bissau", afirmou Guo Ce.

O embaixador chinês aproveitou para lembrar que o seu país foi a primeira nação a prometer as vacinas "como um produto público global a outros países", particularmente aos países em desenvolvimento, disse.

"Actualmente, a China cumpriu a sua promessa e forneceu cerca 800 milhões de doses de vacina para mais de 100 países e organizações internacionais", assegurou o embaixador.

Guo Ce destacou ainda que no passado dia 05 de Agosto o Presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que até ao final deste ano China irá fornecer dois mil milhões de doses de vacina para o mundo e 100 milhões de dólares (84,7 milhões de euros) no âmbito da Covax, iniciativa da OMS para aquisição e distribuição de gratuita de vacinas em países menos desenvolvidos.

A Guiné-Bissau regista 117 mortos devido à covid-19 e 6.608 infectados desde o início da pandemia.

A covid-19 provocou pelo menos 4.500.620 mortes em todo o mundo, entre mais de 216,34milhões de infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

 

"Assistimos hoje a mais um passo da longa cooperação entre a Guiné-Bissau e a República Popular da China. Este é o primeiro de mais donativos de vacinas que serão feitos à Guiné-Bissau", anunciou Magda Robalo.

A médica guineense disse ainda que nos próximos dois meses a China irá oferecer à Guiné-Bissau mais 200 mil doses da vacina Sinopharm.

"Queremos reiterar aqui, em nome do Governo e do Estado da Guiné-Bissau, a nossa profunda gratidão por este gesto de solidariedade para com o povo guineense no momento em que o país atravessa a sua pior crise de covid-19, desde Março de 2020", afirmou Magda Robalo.

Em representação do Governo guineense, a secretária de Estado da Cooperação Internacional, Ude Fati, elogiou "mais um gesto da China" em relação à Guiné-Bissau.

"Acreditamos que a ajuda chinesa trará um resultado importante para travar a preocupante progressão desta terrível pandemia na Guiné-Bissau", notou a governante guineense.

O embaixador da China na Guiné-Bissau, Guo Ce, explicou que a doação de vacinas à Guiné-Bissau acontece no âmbito da cooperação bilateral entre os dois países e reflecte "o apreço" do seu país para com o povo guineense.

"Este é apenas o primeiro de vários lotes de doações. Nos próximos meses, haverá mais doações chinesas de vacinas à Guiné-Bissau", afirmou Guo Ce.

O embaixador chinês aproveitou para lembrar que o seu país foi a primeira nação a prometer as vacinas "como um produto público global a outros países", particularmente aos países em desenvolvimento, disse.

"Actualmente, a China cumpriu a sua promessa e forneceu cerca 800 milhões de doses de vacina para mais de 100 países e organizações internacionais", assegurou o embaixador.

Guo Ce destacou ainda que no passado dia 05 de Agosto o Presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que até ao final deste ano China irá fornecer dois mil milhões de doses de vacina para o mundo e 100 milhões de dólares (84,7 milhões de euros) no âmbito da Covax, iniciativa da OMS para aquisição e distribuição de gratuita de vacinas em países menos desenvolvidos.

A Guiné-Bissau regista 117 mortos devido à covid-19 e 6.608 infectados desde o início da pandemia.

A covid-19 provocou pelo menos 4.500.620 mortes em todo o mundo, entre mais de 216,34milhões de infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.