Debandada durante funeral de antigo Presidente da Tanzânia fez 45 mortos

Dar es Salaam - Um total de 45 pessoas morreram no dia 21 de Março numa debandada no estádio da capital económica da Tanzânia, Dar es Salaam, onde se realizava uma homenagem ao falecido Presidente John Magufuli, anunciou a polícia esta terça-feira.

"Havia muitas pessoas que queriam entrar no estádio e algumas não foram pacientes. Forçaram a sua entrada e isso provocou uma debandada, com 45 pessoas a morreram no acidente", disse à agência AFP Lazaro Mambosasa, o comandante da polícia regional de Dar es Salaam.

Alguns dias após o anúncio da morte de John Magufuli, a 17 de Março, dezenas de milhares de tanzanianos compareceram no Estádio de Uhuru, em Dar es Salaam, onde o corpo do antigo Presidente foi exposto, iniciando uma semana de homenagens por todo o país.

Mais tarde, multidões também lotaram um terminal do aeroporto quando o caixão partiu para a capital Dodoma, onde um funeral estatal foi realizado no dia seguinte.

O corpo foi então transportado para o arquipélago semi-autónomo de Zanzibar e para a cidade de Mwanza, entre outros locais. John Magufuli foi enterrado na sexta-feira na sua cidade natal de Chato, no noroeste do país.

Segundo a versão oficial das autoridades, o chefe de Estado, de 61 anos, que estava no poder desde 2015, morreu em 17 de Março de problemas cardíacos de que padecia há uma década.

Mas a oposição diz que o Presidente, que tinha constantemente minimizado o impacto do novo coronavírus e recusado tomar medidas para travar a pandemia, na verdade morreu de covid-19, na semana anterior.

De acordo com a Constituição, a vice-presidente Samia Suluhu Hassan assumiu o cargo de seu sucessor, tornando-se a primeira mulher a liderar a Tanzânia.

"Havia muitas pessoas que queriam entrar no estádio e algumas não foram pacientes. Forçaram a sua entrada e isso provocou uma debandada, com 45 pessoas a morreram no acidente", disse à agência AFP Lazaro Mambosasa, o comandante da polícia regional de Dar es Salaam.

Alguns dias após o anúncio da morte de John Magufuli, a 17 de Março, dezenas de milhares de tanzanianos compareceram no Estádio de Uhuru, em Dar es Salaam, onde o corpo do antigo Presidente foi exposto, iniciando uma semana de homenagens por todo o país.

Mais tarde, multidões também lotaram um terminal do aeroporto quando o caixão partiu para a capital Dodoma, onde um funeral estatal foi realizado no dia seguinte.

O corpo foi então transportado para o arquipélago semi-autónomo de Zanzibar e para a cidade de Mwanza, entre outros locais. John Magufuli foi enterrado na sexta-feira na sua cidade natal de Chato, no noroeste do país.

Segundo a versão oficial das autoridades, o chefe de Estado, de 61 anos, que estava no poder desde 2015, morreu em 17 de Março de problemas cardíacos de que padecia há uma década.

Mas a oposição diz que o Presidente, que tinha constantemente minimizado o impacto do novo coronavírus e recusado tomar medidas para travar a pandemia, na verdade morreu de covid-19, na semana anterior.

De acordo com a Constituição, a vice-presidente Samia Suluhu Hassan assumiu o cargo de seu sucessor, tornando-se a primeira mulher a liderar a Tanzânia.