Ex-presidente de Ghana nomeado Alto Representante para a Somália

  • Bandeira da União Africana
Adis Abeba - A União Africana (UA) nomeou o ex-presidente de Ghana John Mahama para o cargo de Alto Representante para a Somália, que entrou numa crise política desde o anúncio da prorrogação por dois anos do mandato do chefe de Estado.

A Somália está a atravessar uma profunda crise política há várias semanas, desde que foi anunciada - a 12 de Abril - a prorrogação do mandato do Presidente Mohamed Abdullahi Mohamed, que tinha expirado no início de Fevereiro, sem eleições.

Em comunicado, a UA explicou que "como Alto Representante para a dimensão política da Somália, o Presidente Mahama trabalhará com os partidos somalis para chegar a um compromisso mutuamente aceitável para uma resolução abrangente para a realização de eleições o mais rápido possível".

O presidente da comissão da UA, Moussa Faki, "exorta as partes interessadas somalis a negociar de boa-fé (...) na procura de uma resolução inclusiva para a crise eleitoral".

"Isso deve abrir caminho para um Governo eleito democraticamente com a legitimidade e mandato necessários para resolver as questões políticas e constitucionais pendentes que representam uma ameaça à estabilidade do país e da região", acrescentou.

Segundo a UA, John Mahama, Presidente de Gana entre 2012 e 2017, deverá chegar à Somália "nos próximos dias".

O Alto Representante irá encontrar um país em conflito devido à prorrogação do presidente, sem eleições, que já foi condenada pela oposição somali e pela comunidade internacional.

As tensões atingiram o pico a 25 de Abril com confrontos armados entre as forças do Governo e combatentes pró-oposição.

Perante a pressão internacional, o Presidente Farmajo já desistiu do prolongamento do mandato e instruiu o primeiro-ministro Mohamed Hussein Roble a organizar as eleições o mais rápido possível.

A Somália está a atravessar uma profunda crise política há várias semanas, desde que foi anunciada - a 12 de Abril - a prorrogação do mandato do Presidente Mohamed Abdullahi Mohamed, que tinha expirado no início de Fevereiro, sem eleições.

Em comunicado, a UA explicou que "como Alto Representante para a dimensão política da Somália, o Presidente Mahama trabalhará com os partidos somalis para chegar a um compromisso mutuamente aceitável para uma resolução abrangente para a realização de eleições o mais rápido possível".

O presidente da comissão da UA, Moussa Faki, "exorta as partes interessadas somalis a negociar de boa-fé (...) na procura de uma resolução inclusiva para a crise eleitoral".

"Isso deve abrir caminho para um Governo eleito democraticamente com a legitimidade e mandato necessários para resolver as questões políticas e constitucionais pendentes que representam uma ameaça à estabilidade do país e da região", acrescentou.

Segundo a UA, John Mahama, Presidente de Gana entre 2012 e 2017, deverá chegar à Somália "nos próximos dias".

O Alto Representante irá encontrar um país em conflito devido à prorrogação do presidente, sem eleições, que já foi condenada pela oposição somali e pela comunidade internacional.

As tensões atingiram o pico a 25 de Abril com confrontos armados entre as forças do Governo e combatentes pró-oposição.

Perante a pressão internacional, o Presidente Farmajo já desistiu do prolongamento do mandato e instruiu o primeiro-ministro Mohamed Hussein Roble a organizar as eleições o mais rápido possível.