Exército egípcio anuncia ter abatido 89 extremistas do EI no Sinai

Cairo - O Exército do Egipto afirmou ter abatido 89 extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) em operações militares na península do Sinai, informou hoje um porta-voz, sem especificar quando isso ocorreu.

Oito soldados egípcios foram "mortos ou feridos", acrescentou o porta-voz do Exército num comunicado.

"Face aos esforços para perseguir e vencer os elementos terroristas (...) ao longo do período recente, o Exército conseguiu (...) matar 89 extremistas perigosos" no norte do Sinai", afirmou.

O texto não detalhava as datas exactas dessas operações.

O Exército também afirmou ter destruído 404 artefactos explosivos improvisados, quatro cinturões de explosivos e 13 túneis usados pelos extremistas para se infiltrarem no território egípcio a partir da palestiniana Faixa de Gaza.

O Egipto acusa o movimento islamita palestiniano Hamas, que governa em Gaza, de procurar armas com os grupos islâmicos do norte do Sinai.

Oito soldados egípcios foram "mortos ou feridos", acrescentou o porta-voz do Exército num comunicado.

"Face aos esforços para perseguir e vencer os elementos terroristas (...) ao longo do período recente, o Exército conseguiu (...) matar 89 extremistas perigosos" no norte do Sinai", afirmou.

O texto não detalhava as datas exactas dessas operações.

O Exército também afirmou ter destruído 404 artefactos explosivos improvisados, quatro cinturões de explosivos e 13 túneis usados pelos extremistas para se infiltrarem no território egípcio a partir da palestiniana Faixa de Gaza.

O Egipto acusa o movimento islamita palestiniano Hamas, que governa em Gaza, de procurar armas com os grupos islâmicos do norte do Sinai.