Grã-Bretanha devolve à Nigéria milhões apreendidos a antigo governador

Abuja - A Grã-Bretanha devolveu hoje à Nigéria os 4,9 milhões de euros apreendidos das contas britânicas de um antigo governador do estado nigeriano do Delta, no sul do país, uma região rica em petróleo, anunciou hoje o executivo de Abuja.

"O Governo federal recebeu 4.214.017 libras esterlinas [4.898.151 euros] dos fundos desviados", afirmou o Ministério da Justiça da Nigéria numa declaração citada pela agência France-Presse (AFP).

O dinheiro foi desviado pelo antigo governador do estado do Delta James Ibori (1999-2007), segundo uma decisão de um tribunal londrino, tendo sido recuperado por agências financeiras, acrescenta a AFP.

O dinheiro tinha como objectivo o financiamento de infra-estruturas na Nigéria.

James Ibori foi preso em Abril de 2012 pelo desvio de quase 50 milhões de libras (então 62 milhões de euros), depois de um longo processo de extradição, tendo sido libertado sob fiança em Dezembro de 2016.

O seu caso tinha sido visto como emblemático na luta contra a corrupção de alto nível na Nigéria.

Durante o seu mandato como governador, entre 1999 e 2007, Ibori utilizou fundos públicos para comparar casas, carros de luxo e um jato privado, segundo o sistema judicial britânico.

Figura de destaque do partido opositor Partido Democrático Popular (PDP), Ibori é também acusado de ter usado fundos desviados para financiar a eleição de Umaru Musa Yar'Adua à presidência nigeriana, em 2007.

"O Governo federal recebeu 4.214.017 libras esterlinas [4.898.151 euros] dos fundos desviados", afirmou o Ministério da Justiça da Nigéria numa declaração citada pela agência France-Presse (AFP).

O dinheiro foi desviado pelo antigo governador do estado do Delta James Ibori (1999-2007), segundo uma decisão de um tribunal londrino, tendo sido recuperado por agências financeiras, acrescenta a AFP.

O dinheiro tinha como objectivo o financiamento de infra-estruturas na Nigéria.

James Ibori foi preso em Abril de 2012 pelo desvio de quase 50 milhões de libras (então 62 milhões de euros), depois de um longo processo de extradição, tendo sido libertado sob fiança em Dezembro de 2016.

O seu caso tinha sido visto como emblemático na luta contra a corrupção de alto nível na Nigéria.

Durante o seu mandato como governador, entre 1999 e 2007, Ibori utilizou fundos públicos para comparar casas, carros de luxo e um jato privado, segundo o sistema judicial britânico.

Figura de destaque do partido opositor Partido Democrático Popular (PDP), Ibori é também acusado de ter usado fundos desviados para financiar a eleição de Umaru Musa Yar'Adua à presidência nigeriana, em 2007.