Presidente de Cabo Verde visita Guiné-Bissau

  • Presidente De Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca
Bissau - O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, inicia segunda-feira uma visita oficial à Guiné-Bissau, a primeira de um chefe de Estado cabo-verdiano.

Segundo as autoridades de Bissau, esse acontecimento demonstra o bom relacionamento existente entre ambos os países lusófonos. Em declarações à Lusa, a chefe da diplomacia guineense, Suzi Barbosa, afirmou ser a "primeira de muitas coisas".

"É a primeira vez que se realiza a visita oficial de um Presidente e também é a primeira vez que Cabo Verde vai abrir uma embaixada na Guiné-Bissau", disse. Cabo Verde tinha apenas um consulado em Bissau.

A chefe da diplomacia guineense notou que, em "47 anos de independência da Guiné-Bissau, nunca Cabo Verde, após a sua independência, tinha aberto uma embaixada".

"Isto demonstra o bom relacionamento que existe, neste momento, entre os nossos dois países", afirmou.

A chefe da diplomacia guineense disse que a nova embaixada de Cabo Verde em Bissau não será inaugurada durante a visita de dois dias de Jorge Carlos Fonseca, mas o chefe de Estado cabo-verdiano vai deslocar-se acompanhado de uma grande delegação empresarial.

Na quinta-feira passada, o Presidente cabo-verdiano nomeou o diplomata Camilo Querido Leitão da Graça embaixador de Cabo Verde em Bissau.

Até agora, o embaixador cabo-verdiano na Guiné-Bissau não era residente no país, acumulando com outras representações.

O chefe de Estado cabo-verdiano considerou que a visita servirá para o reforço e relançamento das relações entre Cabo Verde e a Guiné-Bissau.

"São países que têm laços históricos de cultura e muitas cumplicidades e poderá ser um momento importante para relançar, reforçar, aproximar cada vez mais os dois povos", afirmou o Presidente.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, já tinha convidado o seu homólogo para a sua tomada de posse, no início do ano passado, então marcada por uma crise pós-eleitoral, mas não se concretizou.

Em Novembro do ano passado, Umaro Sissoco Embaló formalizou o convite ao homólogo de Cabo Verde para uma visita oficial ao país, para "reforço" dos "laços históricos" entre os dois Estados.

A carta-convite foi entregue pelo embaixador da Guiné-Bissau em Cabo Verde, M´Bala Fernandes, que foi recebido pelo chefe de Estado cabo-verdiano, que é actualmente presidente em exercício da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Segundo as autoridades de Bissau, esse acontecimento demonstra o bom relacionamento existente entre ambos os países lusófonos. Em declarações à Lusa, a chefe da diplomacia guineense, Suzi Barbosa, afirmou ser a "primeira de muitas coisas".

"É a primeira vez que se realiza a visita oficial de um Presidente e também é a primeira vez que Cabo Verde vai abrir uma embaixada na Guiné-Bissau", disse. Cabo Verde tinha apenas um consulado em Bissau.

A chefe da diplomacia guineense notou que, em "47 anos de independência da Guiné-Bissau, nunca Cabo Verde, após a sua independência, tinha aberto uma embaixada".

"Isto demonstra o bom relacionamento que existe, neste momento, entre os nossos dois países", afirmou.

A chefe da diplomacia guineense disse que a nova embaixada de Cabo Verde em Bissau não será inaugurada durante a visita de dois dias de Jorge Carlos Fonseca, mas o chefe de Estado cabo-verdiano vai deslocar-se acompanhado de uma grande delegação empresarial.

Na quinta-feira passada, o Presidente cabo-verdiano nomeou o diplomata Camilo Querido Leitão da Graça embaixador de Cabo Verde em Bissau.

Até agora, o embaixador cabo-verdiano na Guiné-Bissau não era residente no país, acumulando com outras representações.

O chefe de Estado cabo-verdiano considerou que a visita servirá para o reforço e relançamento das relações entre Cabo Verde e a Guiné-Bissau.

"São países que têm laços históricos de cultura e muitas cumplicidades e poderá ser um momento importante para relançar, reforçar, aproximar cada vez mais os dois povos", afirmou o Presidente.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, já tinha convidado o seu homólogo para a sua tomada de posse, no início do ano passado, então marcada por uma crise pós-eleitoral, mas não se concretizou.

Em Novembro do ano passado, Umaro Sissoco Embaló formalizou o convite ao homólogo de Cabo Verde para uma visita oficial ao país, para "reforço" dos "laços históricos" entre os dois Estados.

A carta-convite foi entregue pelo embaixador da Guiné-Bissau em Cabo Verde, M´Bala Fernandes, que foi recebido pelo chefe de Estado cabo-verdiano, que é actualmente presidente em exercício da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).