EUA confirmam manobras militares em Marrocos, mas fora do Saara Ocidental

  • Bandeira dos EUA
Washington - Os Estados Unidos confirmaram hoje as manobras militares "African Lion 21", que decorrerão este mês em Marrocos, Tunísia e Senegal, mas fora das zonas no Saara Ocidental, contrariando o anunciado anteriormente por Rabat.

A porta-voz do Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos para África (AFRICOM), Bardha Azari, disse à agência noticiosa espanhola EFE que, em Marrocos, os exercícios militares vão decorrer a partir da base aérea de Kenitra, no norte, até às áreas de treino e formação de Tan Tan e de Guerir Labouthi, no sul e que Espanha não participará.

Guerir Labouhi situa-se próximo da fronteira de Marrocos com o Saara Ocidental, próximo da localidade de Mahbes, já dentro de território saarauí e de onde Rabat disse que começariam as manobras militares.

Domingo, o primeiro-ministro marroquino, Saadedin Otmani, afirmou que parte das manobras militares entre Marrocos e os Estados Unidos, uma das mais importantes do continente africano, decorreriam pela primeira vez no Saara Ocidental a partir de 07 de Junho.

Na rede social Twitter, Otmani indicou que parte desses exercícios seria realizada na cidade de Mahbes, no extremo nordeste do Saara Ocidental, muito perto da fronteira com a Argélia, e também na cidade saarauí de Dakhla.

No entanto, a mensagem na rede social foi apagada hoje. 

Nas declarações à EFE, a porta-voz AFRICOM acrescentou que, na fase de planeamento dos exercícios, os militares norte-americanos e marroquinos consideraram vários locais, salientando que têm trabalhado de perto para determinar quais são os melhores para efectuar as manobras militares.

Nos exercícios militares participam contingentes do Reino Unido, Itália, Canadá e Países Baixos, entre outros, mas não a Espanha.

O diário espanhol El País indicou no fim-de-semana passado que Espanha não iria participar nas manobras por incluir áreas do Saara Ocidental, um que, para Madrid, pressupõe o reconhecimento da soberania marroquina sobre a antiga colónia espanhola.

A porta-voz do Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos para África (AFRICOM), Bardha Azari, disse à agência noticiosa espanhola EFE que, em Marrocos, os exercícios militares vão decorrer a partir da base aérea de Kenitra, no norte, até às áreas de treino e formação de Tan Tan e de Guerir Labouthi, no sul e que Espanha não participará.

Guerir Labouhi situa-se próximo da fronteira de Marrocos com o Saara Ocidental, próximo da localidade de Mahbes, já dentro de território saarauí e de onde Rabat disse que começariam as manobras militares.

Domingo, o primeiro-ministro marroquino, Saadedin Otmani, afirmou que parte das manobras militares entre Marrocos e os Estados Unidos, uma das mais importantes do continente africano, decorreriam pela primeira vez no Saara Ocidental a partir de 07 de Junho.

Na rede social Twitter, Otmani indicou que parte desses exercícios seria realizada na cidade de Mahbes, no extremo nordeste do Saara Ocidental, muito perto da fronteira com a Argélia, e também na cidade saarauí de Dakhla.

No entanto, a mensagem na rede social foi apagada hoje. 

Nas declarações à EFE, a porta-voz AFRICOM acrescentou que, na fase de planeamento dos exercícios, os militares norte-americanos e marroquinos consideraram vários locais, salientando que têm trabalhado de perto para determinar quais são os melhores para efectuar as manobras militares.

Nos exercícios militares participam contingentes do Reino Unido, Itália, Canadá e Países Baixos, entre outros, mas não a Espanha.

O diário espanhol El País indicou no fim-de-semana passado que Espanha não iria participar nas manobras por incluir áreas do Saara Ocidental, um que, para Madrid, pressupõe o reconhecimento da soberania marroquina sobre a antiga colónia espanhola.