Ministro sul-africano congratula-se com retomada da segurança nos centros comerciais

  • África do Sul: Cidade de Joanesburgo
Pretoria - O ministro da Polícia, Bheki Cele, manifestou-se hoje satisfeito com as medidas de segurança estabelecidas nos centros de venda a retalho visando proteger os cidadãos após os incidentes violentos da semana passada.

Bheki Cele visitou na segunda-feira empresas e complexos comerciais na cidade portuária de Durban, bem como em Pietermaritzburg (a capital da província do Kwazulu-Natal), atingidos pelos saques e violência pública que deixaram mais de 200 mortes nas províncias do Kwazulu-Natal e de Gauteng.

Num comunicado tornado público hoje, o ministro destacou que equipas de gestão dos centros comerciais Liberty Mall, The Pavillion e Gateway no Kwazulu-Natal, que estiveram entre os mais de 150 outros atacados, apresentaram planos de segurança postos em prática juntamente com o Serviço de Polícia da África do Sul (SAPS).

"A segurança privada e o SAPS continuam a proteger os complexos comerciais para evitar mais violência e saques", sublinhou Bheki no comunicado.

Embora os centros tenham sido reabertos apenas para a compra de bens essenciais, o governante garantiu que nos próximos dias estes estarão plenamente operacionais.

No que toca ao paradeiro dos bens roubados durante os distúrbios, o dirigente revelou que "a recuperação destes está na ordem do dia nas duas províncias. Todos os bens saqueados estão a ser recolhidos e colocados em várias instalações de armazenamento de provas, da polícia nacional".

"Estamos gratos pela contribuição das comunidades que continuam a fornecer informações relevantes, que ajudam a polícia nestas buscas. Igualmente aplaudimos as pessoas que de forma voluntária estão a devolver os artigos que não lhes pertencem", sublinhou.

O ministro deixou um alerta aos elementos que optam em manter nas suas casas as mercadorias roubadas: "queremos deixar uma vez mais o nosso aviso, de que a lei não terá piedade de vós".

Bheki Cele visitou na segunda-feira empresas e complexos comerciais na cidade portuária de Durban, bem como em Pietermaritzburg (a capital da província do Kwazulu-Natal), atingidos pelos saques e violência pública que deixaram mais de 200 mortes nas províncias do Kwazulu-Natal e de Gauteng.

Num comunicado tornado público hoje, o ministro destacou que equipas de gestão dos centros comerciais Liberty Mall, The Pavillion e Gateway no Kwazulu-Natal, que estiveram entre os mais de 150 outros atacados, apresentaram planos de segurança postos em prática juntamente com o Serviço de Polícia da África do Sul (SAPS).

"A segurança privada e o SAPS continuam a proteger os complexos comerciais para evitar mais violência e saques", sublinhou Bheki no comunicado.

Embora os centros tenham sido reabertos apenas para a compra de bens essenciais, o governante garantiu que nos próximos dias estes estarão plenamente operacionais.

No que toca ao paradeiro dos bens roubados durante os distúrbios, o dirigente revelou que "a recuperação destes está na ordem do dia nas duas províncias. Todos os bens saqueados estão a ser recolhidos e colocados em várias instalações de armazenamento de provas, da polícia nacional".

"Estamos gratos pela contribuição das comunidades que continuam a fornecer informações relevantes, que ajudam a polícia nestas buscas. Igualmente aplaudimos as pessoas que de forma voluntária estão a devolver os artigos que não lhes pertencem", sublinhou.

O ministro deixou um alerta aos elementos que optam em manter nas suas casas as mercadorias roubadas: "queremos deixar uma vez mais o nosso aviso, de que a lei não terá piedade de vós".