Níger: Soldados mortos e desaparecidos após emboscada de jihadistas

  • Bandeira do Níger
Niamey - Pelo menos 15 soldados nigerinos foram mortos no sábado e seis estão "desaparecidos" após um ataque "terrorista" na província de Torodi (sudoeste), anunciou no domingo o Ministério da Defesa do Níger.

O ministério explicou que as forças de segurança que estavam em missão de abastecimento foram "emboscadas por grupos armados terroristas", com os militares que tentavam retirar os feridos atingidos de seguida "por um engenho explosivo improvisado".

O balanço deste ataque que ocorreu no sábado pelas 11:00 locais é de "15 militares mortos, sete feridos e seis considerados desaparecidos", precisou o comunicado.

O ministério acrescentou que foi desencadeada "uma vasta operação de busca" na zona do ataque por forças terrestres "apoiadas pela aviação militar", com o objectivo de "detetar os terroristas".

A província de Torodi está situada no sudoeste da região de Tillabéri, na designada zona das "três fronteiras" entre o Níger, o Burkina Faso e o Mali.

Esta zona tem sido palco de frequentes ataques de grupos jihadistas do Sahel, incluindo o Estado islâmico do Grande Sahara e o Grupo de apoio ao islão e aos muçulmanos (filiado na Al-Qaida).

Os ataques atribuídos a presumíveis jihadistas têm provocado crescentes baixas entre a população civil numa zona árida e isolada.

Na última semana 33 aldeãos foram mortos em dois ataques distintos mais a norte, perto da fronteira do Mali.

Um contingente de 1.200 soldados do exército tchadiano, considerado o mais organizado da região, foi deslocado para a zona das três fronteiras, no âmbito da força multinacional anti-jihadista do "G5 Sahel", que agrupa cinco países (Mauritânia, Mali, Burkina Faso, Níger e Tchad).

 

O ministério explicou que as forças de segurança que estavam em missão de abastecimento foram "emboscadas por grupos armados terroristas", com os militares que tentavam retirar os feridos atingidos de seguida "por um engenho explosivo improvisado".

O balanço deste ataque que ocorreu no sábado pelas 11:00 locais é de "15 militares mortos, sete feridos e seis considerados desaparecidos", precisou o comunicado.

O ministério acrescentou que foi desencadeada "uma vasta operação de busca" na zona do ataque por forças terrestres "apoiadas pela aviação militar", com o objectivo de "detetar os terroristas".

A província de Torodi está situada no sudoeste da região de Tillabéri, na designada zona das "três fronteiras" entre o Níger, o Burkina Faso e o Mali.

Esta zona tem sido palco de frequentes ataques de grupos jihadistas do Sahel, incluindo o Estado islâmico do Grande Sahara e o Grupo de apoio ao islão e aos muçulmanos (filiado na Al-Qaida).

Os ataques atribuídos a presumíveis jihadistas têm provocado crescentes baixas entre a população civil numa zona árida e isolada.

Na última semana 33 aldeãos foram mortos em dois ataques distintos mais a norte, perto da fronteira do Mali.

Um contingente de 1.200 soldados do exército tchadiano, considerado o mais organizado da região, foi deslocado para a zona das três fronteiras, no âmbito da força multinacional anti-jihadista do "G5 Sahel", que agrupa cinco países (Mauritânia, Mali, Burkina Faso, Níger e Tchad).