Nigéria: ISWAP afirma que líder do Boko Haram está morto

  • Bandeira do Nigéria
Abuja - O Estado Islâmico da África Ocidental (ISWAP) afirmou numa mensagem de áudio que o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, está morto, noticiaram hoje várias agências internacionais.

"Deus julgou-o, enviando-o para o paraíso", disse o líder do grupo rival, citado pela Reuters.

No passado dia 20 de Maio foi noticiado que o líder do grupo terrorista Boko Haram, Abubakar Shekau, ficou gravemente ferido quando tentava suicidar-se para evitar ser capturado por um outro grupo terrorista ligado ao ISWAP.

De acordo com a agência francesa de notícias, AFP, que cita duas fontes ligadas aos serviços de informação nigerianos, Shekau sofreu ferimentos graves depois dos combates com o ISWAP, mas correm versões diferentes sobre a origem desses ferimentos.

Outra fonte da AFP diz que os ferimentos resultaram depois de uma explosão que o líder do Boko Haram terá provocado quando estava refugiado com vários apoiantes numa casa na floresta de Sambisa, um baluarte deste grupo terrorista que opera principalmente no nordeste da Nigéria.

O nordeste da Nigéria tem sido flagelado por uma insurreição há mais de uma década, que já matou mais de 40 mil pessoas e obrigou dois milhões de habitantes a fugirem das suas casas, tendo alastrado para os vizinhos Níger, Tchad e Camarões.

Em 2016, o grupo dividiu-se em dois, com a facção histórica, liderada por Abubakar Shekau, controlando um dos lados da floresta de Sambisa, e do outro o ISWAP, reconhecido pela organização estatal islâmica, com reduto nas redondezas do Lago Tchad.

Ambos os grupos terroristas combatem o exército nigeriano, e também há confrontos entre eles pelo controlo do território.

Nos últimos anos, o ISWAP cresceu em força, ganhando território e lançando ataques mais sofisticados, escreve a AFP.

"Deus julgou-o, enviando-o para o paraíso", disse o líder do grupo rival, citado pela Reuters.

No passado dia 20 de Maio foi noticiado que o líder do grupo terrorista Boko Haram, Abubakar Shekau, ficou gravemente ferido quando tentava suicidar-se para evitar ser capturado por um outro grupo terrorista ligado ao ISWAP.

De acordo com a agência francesa de notícias, AFP, que cita duas fontes ligadas aos serviços de informação nigerianos, Shekau sofreu ferimentos graves depois dos combates com o ISWAP, mas correm versões diferentes sobre a origem desses ferimentos.

Outra fonte da AFP diz que os ferimentos resultaram depois de uma explosão que o líder do Boko Haram terá provocado quando estava refugiado com vários apoiantes numa casa na floresta de Sambisa, um baluarte deste grupo terrorista que opera principalmente no nordeste da Nigéria.

O nordeste da Nigéria tem sido flagelado por uma insurreição há mais de uma década, que já matou mais de 40 mil pessoas e obrigou dois milhões de habitantes a fugirem das suas casas, tendo alastrado para os vizinhos Níger, Tchad e Camarões.

Em 2016, o grupo dividiu-se em dois, com a facção histórica, liderada por Abubakar Shekau, controlando um dos lados da floresta de Sambisa, e do outro o ISWAP, reconhecido pela organização estatal islâmica, com reduto nas redondezas do Lago Tchad.

Ambos os grupos terroristas combatem o exército nigeriano, e também há confrontos entre eles pelo controlo do território.

Nos últimos anos, o ISWAP cresceu em força, ganhando território e lançando ataques mais sofisticados, escreve a AFP.