Nigéria: Número de cadáveres recuperados de naufrágio sobe para 76

Lagos - Pelo menos, 76 cadáveres foram recuperados no rio Níger, após o naufrágio de um barco sobrecarregado no estado de Kebbi, no noroeste da Nigéria, informaram hoje à agência de notícias Efe as autoridades locais.

"Os serviços de emergência recuperaram até agora 76 corpos no rio", confirmou o presidente do governo local de Ngaski, Alhaji Abdullahi Buhari, distrito onde ocorreu o acidente, assinalando que o número de pessoas resgatadas com vida subiu para 22.

"Ainda assim, há muitas pessoas desaparecidas e os serviços de emergência estão a trabalhar sem descanso para recuperar, possivelmente, mais corpos", acrescentou Alhaji Abdullahi Buhari.

Uma nota de imprensa do governador do Estado de Kebbbi, Abubakar Bagudu, refere que serão tomadas as medidas necessárias para evitar outra tragédia semelhante e que serão revistas as leis existentes, de modo a proteger as vidas e propriedades dos passageiros das embarcações.

O barco com mais de 160 passageiros, incluindo muitas crianças e mulheres, afundou-se depois de ter embatido contra um objecto e se ter partido ao meio, quando viajava ao longo do maior rio da Nigéria, no estado de Kebbi, na parte noroeste do país.

Até agora, ainda não é claro qual o motivo que causou o rompimento do barco, que viajava do estado nigeriano do Níger para a cidade de Wara, no estado de Kebbi.

O barco de madeira, que estava em mau estado, transportava mais do dobro do número de passageiros permitido a bordo, disseram as autoridades, na quarta-feira.

Na quarta-feira à noite, o Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, descreveu o acidente como "terrível" e apresentou as suas condolências às famílias, sem fazer uma avaliação oficial da catástrofe na sua declaração.

O navio transportava também uma carga de sacos de areia de uma mina de ouro próxima, disse Abdullahi Buhari Wara, o chefe administrativo do distrito de Ngaski no estado de Kebbi.

No início de Maio, um barco sobrelotado virou-se no estado do Níger, matando 30 pessoas. O navio, transportando cerca de 100 pessoas, partiu-se em dois, após ter atingido um cepo durante uma tempestade, enquanto regressava de um mercado.

Os acidentes de barco são comuns na Nigéria, especialmente no rio Níger, por causa de sobrecarga, o mau estado de muitos barcos, e detritos debaixo de água nos quais as embarcações embatem frequentemente.

O Níger, um dos três maiores rios do continente africano, depois do Nilo e do Congo, é a principal via navegável da África Ocidental.

"Os serviços de emergência recuperaram até agora 76 corpos no rio", confirmou o presidente do governo local de Ngaski, Alhaji Abdullahi Buhari, distrito onde ocorreu o acidente, assinalando que o número de pessoas resgatadas com vida subiu para 22.

"Ainda assim, há muitas pessoas desaparecidas e os serviços de emergência estão a trabalhar sem descanso para recuperar, possivelmente, mais corpos", acrescentou Alhaji Abdullahi Buhari.

Uma nota de imprensa do governador do Estado de Kebbbi, Abubakar Bagudu, refere que serão tomadas as medidas necessárias para evitar outra tragédia semelhante e que serão revistas as leis existentes, de modo a proteger as vidas e propriedades dos passageiros das embarcações.

O barco com mais de 160 passageiros, incluindo muitas crianças e mulheres, afundou-se depois de ter embatido contra um objecto e se ter partido ao meio, quando viajava ao longo do maior rio da Nigéria, no estado de Kebbi, na parte noroeste do país.

Até agora, ainda não é claro qual o motivo que causou o rompimento do barco, que viajava do estado nigeriano do Níger para a cidade de Wara, no estado de Kebbi.

O barco de madeira, que estava em mau estado, transportava mais do dobro do número de passageiros permitido a bordo, disseram as autoridades, na quarta-feira.

Na quarta-feira à noite, o Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, descreveu o acidente como "terrível" e apresentou as suas condolências às famílias, sem fazer uma avaliação oficial da catástrofe na sua declaração.

O navio transportava também uma carga de sacos de areia de uma mina de ouro próxima, disse Abdullahi Buhari Wara, o chefe administrativo do distrito de Ngaski no estado de Kebbi.

No início de Maio, um barco sobrelotado virou-se no estado do Níger, matando 30 pessoas. O navio, transportando cerca de 100 pessoas, partiu-se em dois, após ter atingido um cepo durante uma tempestade, enquanto regressava de um mercado.

Os acidentes de barco são comuns na Nigéria, especialmente no rio Níger, por causa de sobrecarga, o mau estado de muitos barcos, e detritos debaixo de água nos quais as embarcações embatem frequentemente.

O Níger, um dos três maiores rios do continente africano, depois do Nilo e do Congo, é a principal via navegável da África Ocidental.