Operação antiterrorista do exército mata 11 jihadistas em Burkina Faso

  • Mapa Do Burkina Faso
Ouagadougou - Onze jihadistas morreram e três bases terroristas foram destruídas entre 14 e 16 deste mês, numa operação antiterrorismo na região este do Burkina Faso, anunciou segunda-feira, 21, o exército do país.

Num comunicado divulgado segunda-feira, em Ouagadougou, o Estado-Maior do exército adiante que entre 14 e 16 de Junho, uma operação, que consistiu numa intervenção por terra e por ar, foi conduzida pela unidade do agrupamento de forças com o objectivo de desmantelar as bases terroristas.

No documento, citado pelo site "Notícias ao Minuto", o Estado-Maoir detalha que durante a operação foram destruídas três bases terroristas em Nokortougou, Ouro Seni e Bouraignima, 11 terroristas neutralizados, bem como apreendidos armamentos, munições e várias motos e meios de comunicação.

O exército adiantou ainda que, entre 17 e 18 de Junho, três engenhos explosivos foram descobertos e destruídos em três outras localidades do este do país.

Acrescenta que antes, entre 07 e 13 de Junho, outras operações tinham feito uma dezena de mortos, na sequência do massacre, supostamente levado a cabo por jihadistas, na aldeia de Solhan, nordeste do Burkina Faso.

Na noite de 04 para 05 deste mês, pelo menos 132 pessoas, segundo o Governo, e 160, segundo fontes locais, foram mortas num ataque à aldeia de Solhan, próxima da fronteira com o Mali e com o Níger.

Num comunicado divulgado segunda-feira, em Ouagadougou, o Estado-Maior do exército adiante que entre 14 e 16 de Junho, uma operação, que consistiu numa intervenção por terra e por ar, foi conduzida pela unidade do agrupamento de forças com o objectivo de desmantelar as bases terroristas.

No documento, citado pelo site "Notícias ao Minuto", o Estado-Maoir detalha que durante a operação foram destruídas três bases terroristas em Nokortougou, Ouro Seni e Bouraignima, 11 terroristas neutralizados, bem como apreendidos armamentos, munições e várias motos e meios de comunicação.

O exército adiantou ainda que, entre 17 e 18 de Junho, três engenhos explosivos foram descobertos e destruídos em três outras localidades do este do país.

Acrescenta que antes, entre 07 e 13 de Junho, outras operações tinham feito uma dezena de mortos, na sequência do massacre, supostamente levado a cabo por jihadistas, na aldeia de Solhan, nordeste do Burkina Faso.

Na noite de 04 para 05 deste mês, pelo menos 132 pessoas, segundo o Governo, e 160, segundo fontes locais, foram mortas num ataque à aldeia de Solhan, próxima da fronteira com o Mali e com o Níger.