Pelo menos três soldados malianos mortos em explosão no centro do país

  • Mapa do Mali
Bamako - Pelo menos três soldados malianos morreram hoje devido ao rebentamento de um engenho explosivo improvisado que foi detonado durante a passagem de um grupo de veículos na região central de Mopti, indicaram fontes de segurança.

Segundo um oficial da polícia da capital regional, Mopti, sob condição de anonimato, outros seis soldados ficaram gravemente feridos quando o veículo em que seguiam atingiu o dispositivo que regressava de uma iniciativa na localidade de Hombori.

Uma declaração do exército maliano citada pela agência France Presse (AFP) refere que três pessoas morreram, enquanto cinco ficaram feridas, tendo estas últimas sido transportadas para a cidade de Gao com ajuda da força francesa Barkhane.

O centro do Mali é um dos principais focos de violência no Sahel.

A localidade de Hombori é uma área de actividade e de refúgio para grupos ligados ao Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos (GSIM, em francês), filiado na Al-Qaeda, assim como de rebeldes pertencentes ao grupo Estado Islâmico.

O Mali integra, junto de Burkina Faso, Chade, Mauritânia e Níger, o grupo G5-Sahel, que formou uma força militar apoiada por França para combater a actividade terrorista na região.

Segundo um oficial da polícia da capital regional, Mopti, sob condição de anonimato, outros seis soldados ficaram gravemente feridos quando o veículo em que seguiam atingiu o dispositivo que regressava de uma iniciativa na localidade de Hombori.

Uma declaração do exército maliano citada pela agência France Presse (AFP) refere que três pessoas morreram, enquanto cinco ficaram feridas, tendo estas últimas sido transportadas para a cidade de Gao com ajuda da força francesa Barkhane.

O centro do Mali é um dos principais focos de violência no Sahel.

A localidade de Hombori é uma área de actividade e de refúgio para grupos ligados ao Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos (GSIM, em francês), filiado na Al-Qaeda, assim como de rebeldes pertencentes ao grupo Estado Islâmico.

O Mali integra, junto de Burkina Faso, Chade, Mauritânia e Níger, o grupo G5-Sahel, que formou uma força militar apoiada por França para combater a actividade terrorista na região.