PM são-tomense anuncia suspensão da paralisação dos professores

São Tomé - O primeiro-ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus, anunciou hoje que os sindicatos dos professores suspenderam a paralisação iniciada na terça-feira, depois de chegarem a um acordo com o Governo.

"O Ministério da Educação acompanhou as negociações e chegaram a um acordo, à semelhança daquilo que se conseguiu com os médicos e enfermeiros", disse hoje o primeiro-ministro, à imprensa, no final da cerimónia da celebração do Dia dos Heróis Nacionais.

Fonte governamental disse à Lusa que, durante mais de seis horas na terça-feira, os dois principais sindicatos dos professores e educadores e o governo tiveram "negociações aturadas" nas instalações do Ministério do Planeamento, Finanças e Economia Azul e chegaram a um entendimento "quanto às principais reivindicações da classe educativa"

"É um processo dinâmico e o dever do Governo é encontrar formas de pacificação da sociedade", disse Jorge Bom Jesus.

"Mais do que paz política, nós precisamos de paz social e paz social é resolver o problema das pessoas, conversar", acrescentou.

O primeiro-ministro considerou que "a pouco e pouco", o seu Governo vai conseguir "ultrapassar" os focos de tensão laboral que estão a acontecer "num tempo excepcional, num tempo difícil" em que "é preciso colaboração de todos".

O chefe do executivo disse ainda que "em princípio" os professores e alunos regressarão esta quinta-feira às aulas.

Na segunda-feira, o Sindicato dos Professores de São Tomé e Príncipe (Sinprestp) convocou uma paralisação, a iniciar na terça-feira e por tempo indeterminado, reivindicando um aumento no reajuste salarial a partir deste Orçamento de Estado de 2021, bem como a passagem ao quadro dos professores recém-entrados no sistema educativo e a promoção na carreira dos outros que estão na carreira há vários anos.

"O Ministério da Educação acompanhou as negociações e chegaram a um acordo, à semelhança daquilo que se conseguiu com os médicos e enfermeiros", disse hoje o primeiro-ministro, à imprensa, no final da cerimónia da celebração do Dia dos Heróis Nacionais.

Fonte governamental disse à Lusa que, durante mais de seis horas na terça-feira, os dois principais sindicatos dos professores e educadores e o governo tiveram "negociações aturadas" nas instalações do Ministério do Planeamento, Finanças e Economia Azul e chegaram a um entendimento "quanto às principais reivindicações da classe educativa"

"É um processo dinâmico e o dever do Governo é encontrar formas de pacificação da sociedade", disse Jorge Bom Jesus.

"Mais do que paz política, nós precisamos de paz social e paz social é resolver o problema das pessoas, conversar", acrescentou.

O primeiro-ministro considerou que "a pouco e pouco", o seu Governo vai conseguir "ultrapassar" os focos de tensão laboral que estão a acontecer "num tempo excepcional, num tempo difícil" em que "é preciso colaboração de todos".

O chefe do executivo disse ainda que "em princípio" os professores e alunos regressarão esta quinta-feira às aulas.

Na segunda-feira, o Sindicato dos Professores de São Tomé e Príncipe (Sinprestp) convocou uma paralisação, a iniciar na terça-feira e por tempo indeterminado, reivindicando um aumento no reajuste salarial a partir deste Orçamento de Estado de 2021, bem como a passagem ao quadro dos professores recém-entrados no sistema educativo e a promoção na carreira dos outros que estão na carreira há vários anos.