Polícia sul-africana detém 23 imigrantes na fronteira com Moçambique

Pretória - Pelo menos 23 moçambicanos foram detidos hoje pelas forças de segurança da África do Sul no posto de Kosi Bay, na fronteira com Moçambique, noticiou a televisão sul-africana.

Os imigrantes moçambicanos foram detidos separadamente pela Polícia sul-africana (SAPS, na sigla em inglês) e por militares da Força Nacional de Defesa da África do Sul (SANDF), por falta de teste à covid-19 negativo válido até 72 horas antes e por tentarem entrar ilegalmente na África do Sul naquela fronteira no nordeste do país, noticiou o canal de televisão ENCA.

O canal sul-africano adiantou que alguns imigrantes moçambicanos eram portadores de testes de covid-19 positivos, enquanto outros declararam não ter posses monetárias para suportar a despesa do teste na capital moçambicana, Maputo, que disseram rondar os 1.200 rands (66,51 euros), optando por entrar na África do Sul ilegalmente.

As autoridades sul-africanas reabriram sexta-feira com medidas extraordinárias de segurança o posto fronteiriço de Kosi Bay, entre a província do Kwazulu-Natal e Moçambique, que se encontrava temporariamente encerrado desde o início da pandemia do novo coronavírus em Março do ano passado.

De acordo com as normas de confinamento de nível 3 ajustado, anunciado em 28 de Dezembro de 2020 pelo Presidente da República, Cyril Ramaphosa, a África do Sul permite a entrada de estrangeiros no país mediante a apresentação de um teste de covid-19 negativo certificado por entidade médica e realizado 72 horas antes da data de chagada ao país.

A África do Sul regista um total 1.100.748 infecções de covid-19, tendo reportado 11.859 novos casos nas últimas 24 horas, segundo as autoridades de saúde.

Ainda nas últimas 24 horas, o país reportou 402 óbitos elevando para 29.577 o número total de mortes pelo novo coronavírus.

A África do Sul realizou 6,7 milhões de testes covid-19 desde o início de Março do ano passado, anunciaram as autoridades da saúde sul-africanas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.843.631 mortos resultantes de mais de 85 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 67.246 mortos confirmados e mais de 2,8 milhões de infectados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Moçambique regista 171 mortos e 19.463 casos.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Os imigrantes moçambicanos foram detidos separadamente pela Polícia sul-africana (SAPS, na sigla em inglês) e por militares da Força Nacional de Defesa da África do Sul (SANDF), por falta de teste à covid-19 negativo válido até 72 horas antes e por tentarem entrar ilegalmente na África do Sul naquela fronteira no nordeste do país, noticiou o canal de televisão ENCA.

O canal sul-africano adiantou que alguns imigrantes moçambicanos eram portadores de testes de covid-19 positivos, enquanto outros declararam não ter posses monetárias para suportar a despesa do teste na capital moçambicana, Maputo, que disseram rondar os 1.200 rands (66,51 euros), optando por entrar na África do Sul ilegalmente.

As autoridades sul-africanas reabriram sexta-feira com medidas extraordinárias de segurança o posto fronteiriço de Kosi Bay, entre a província do Kwazulu-Natal e Moçambique, que se encontrava temporariamente encerrado desde o início da pandemia do novo coronavírus em Março do ano passado.

De acordo com as normas de confinamento de nível 3 ajustado, anunciado em 28 de Dezembro de 2020 pelo Presidente da República, Cyril Ramaphosa, a África do Sul permite a entrada de estrangeiros no país mediante a apresentação de um teste de covid-19 negativo certificado por entidade médica e realizado 72 horas antes da data de chagada ao país.

A África do Sul regista um total 1.100.748 infecções de covid-19, tendo reportado 11.859 novos casos nas últimas 24 horas, segundo as autoridades de saúde.

Ainda nas últimas 24 horas, o país reportou 402 óbitos elevando para 29.577 o número total de mortes pelo novo coronavírus.

A África do Sul realizou 6,7 milhões de testes covid-19 desde o início de Março do ano passado, anunciaram as autoridades da saúde sul-africanas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.843.631 mortos resultantes de mais de 85 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 67.246 mortos confirmados e mais de 2,8 milhões de infectados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Moçambique regista 171 mortos e 19.463 casos.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.