PR moçambicano fala hoje à nação sobre restrições em vigor

  • Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi (Foto arquivo)
Maputo - O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, faz hoje uma comunicação à nação sobre as medidas de prevenção da covid-19 em vigor no âmbito da situação de calamidade pública, anunciou a presidência.

A intervenção está marcada para as 19:00 (18:00 em Lisboa), numa altura em que o país regista um abrandamento do número de mortes e casos.

Moçambique registou oficialmente um total de 19 mortes por covid-19 desde o início de Maio, uma redução de quase metade em relação ao mesmo período de Abril, segundo o Ministério da Saúde (Misau).

A última intervenção do chefe de Estado aconteceu a 25 de Abril, altura em que Nyusi anunciou um alívio parcial de restrições: reinício do campeonato nacional de futebol, mas sem público, e retoma de celebrações religiosas e outras reuniões com lotação até 30%. 

Foi também autorizada a reabertura de casinos, museus, teatro, cinemas, auditórios e outros espaços similares com lotação limitada.

"O progresso que alcançámos no controlo da pandemia da covid-19 é uma conquista que resulta do esforço e do sacrifício colectivo dos moçambicanos, no entanto, ainda não podemos baixar a guarda", referiu na altura.

Moçambique tem um total acumulado de 833 óbitos e 70.636 casos, dos quais 97% recuperados e 16 internados.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.475.079 mortos no mundo, resultantes de mais de 167,1 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.021 pessoas dos 845.840 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

A intervenção está marcada para as 19:00 (18:00 em Lisboa), numa altura em que o país regista um abrandamento do número de mortes e casos.

Moçambique registou oficialmente um total de 19 mortes por covid-19 desde o início de Maio, uma redução de quase metade em relação ao mesmo período de Abril, segundo o Ministério da Saúde (Misau).

A última intervenção do chefe de Estado aconteceu a 25 de Abril, altura em que Nyusi anunciou um alívio parcial de restrições: reinício do campeonato nacional de futebol, mas sem público, e retoma de celebrações religiosas e outras reuniões com lotação até 30%. 

Foi também autorizada a reabertura de casinos, museus, teatro, cinemas, auditórios e outros espaços similares com lotação limitada.

"O progresso que alcançámos no controlo da pandemia da covid-19 é uma conquista que resulta do esforço e do sacrifício colectivo dos moçambicanos, no entanto, ainda não podemos baixar a guarda", referiu na altura.

Moçambique tem um total acumulado de 833 óbitos e 70.636 casos, dos quais 97% recuperados e 16 internados.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.475.079 mortos no mundo, resultantes de mais de 167,1 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.021 pessoas dos 845.840 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.