PR são-tomense apela à comunidade para "minimizar sofrimento do povo moçambicano"

São Tomé - O Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, lançou hoje "um veemente apelo" à comunidade internacional para "tudo fazer para minimizar os sofrimentos do povo moçambicano", face ao conflito armado no norte do país.

O chefe de Estado são-tomense falava à imprensa no final de um encontro com o seu homólogo da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, que se encontra em São Tomé para uma visita oficial de três dias.

"São Tomé e Príncipe acompanha com muita preocupação a difícil situação prevalecente na República de Moçambique, com consequências humanitárias incalculáveis, o que interpela a nossa atenção, enquanto países membros da CPLP (Comunidade de Países de Linga Portuguesa)", disse.

A violência que se tem registado em Cabo Delgado, norte de Moçambique, desde 2017 resultou em 2.800 mortos e 732.000 pessoas deslocadas.

O Presidente são-tomense congratulou-se com a visita que o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, efectua a São Tomé e Príncipe, fazendo votos de que as relações entre os dois países e povos se estreitem cada vez mais.

Trata-se da "primeira visita oficial de um chefe de Estado guineense a São Tomé e Príncipe, o que marca um virar de páginas", que os dois países pretendem, realçou Evaristo Carvalho.

O programa da visita de Umaro Sissoco Embaló tem ainda previstos encontros separados com o presidente da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, Delfim Neves, e com o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus.

O chefe de Estado são-tomense falava à imprensa no final de um encontro com o seu homólogo da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, que se encontra em São Tomé para uma visita oficial de três dias.

"São Tomé e Príncipe acompanha com muita preocupação a difícil situação prevalecente na República de Moçambique, com consequências humanitárias incalculáveis, o que interpela a nossa atenção, enquanto países membros da CPLP (Comunidade de Países de Linga Portuguesa)", disse.

A violência que se tem registado em Cabo Delgado, norte de Moçambique, desde 2017 resultou em 2.800 mortos e 732.000 pessoas deslocadas.

O Presidente são-tomense congratulou-se com a visita que o Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, efectua a São Tomé e Príncipe, fazendo votos de que as relações entre os dois países e povos se estreitem cada vez mais.

Trata-se da "primeira visita oficial de um chefe de Estado guineense a São Tomé e Príncipe, o que marca um virar de páginas", que os dois países pretendem, realçou Evaristo Carvalho.

O programa da visita de Umaro Sissoco Embaló tem ainda previstos encontros separados com o presidente da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, Delfim Neves, e com o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus.