Presidente Embaló nomeia novos embaixadores para Angola e Bélgica

  • Presidente da Guiné-Bissau,  Umaro Sissoco Embaló
Bissau - O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, nomeou hoje novos embaixadores para Angola e Bélgica, segundo decretos presidenciais divulgados à imprensa.

Segundo os decretos, Apolinário Mendes de Carvalho, que até aqui exercia funções de embaixador na Bélgica, foi nomeado embaixador em Angola e Alfredo Lopes Cabral, actual conselheiro do chefe de Estado para assuntos diplomáticos, nomeado embaixador para a Bélgica.

Apolinário Mendes de Carvalho, antigo representante permanente da Guiné-Bissau junto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), foi nomeado embaixador para a Bélgica em Junho de 2017 pelo ex-chefe de Estado José Mário Vaz.

Exercia cumulativamente o cargo de representante da Guiné-Bissau junto da União Europeia, funções que passam agora a ser assumidas por Alfredo Lopes Cabral, que cessa funções como conselheiro presidencial.

A Guiné-Bissau não tem embaixador em Angola há vários anos devido às sucessivas crises políticas internas registadas em Bissau, tendo a representação em Luanda sido garantida por encarregado de negócios.

Angola não nomeou um novo embaixador para a Guiné-Bissau desde a saída do diplomata Daniel Rosa, em 2020, colocado em Singapura.

Segundo os decretos, Apolinário Mendes de Carvalho, que até aqui exercia funções de embaixador na Bélgica, foi nomeado embaixador em Angola e Alfredo Lopes Cabral, actual conselheiro do chefe de Estado para assuntos diplomáticos, nomeado embaixador para a Bélgica.

Apolinário Mendes de Carvalho, antigo representante permanente da Guiné-Bissau junto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), foi nomeado embaixador para a Bélgica em Junho de 2017 pelo ex-chefe de Estado José Mário Vaz.

Exercia cumulativamente o cargo de representante da Guiné-Bissau junto da União Europeia, funções que passam agora a ser assumidas por Alfredo Lopes Cabral, que cessa funções como conselheiro presidencial.

A Guiné-Bissau não tem embaixador em Angola há vários anos devido às sucessivas crises políticas internas registadas em Bissau, tendo a representação em Luanda sido garantida por encarregado de negócios.

Angola não nomeou um novo embaixador para a Guiné-Bissau desde a saída do diplomata Daniel Rosa, em 2020, colocado em Singapura.