Primeiro-ministro de Essuatíni hospitalizado com "sintomas ligeiros"

Mbabane - O primeiro-ministro de Essuatíni (ex-Suazilândia), Ambrose Mandvulo Dlamini, foi hospitalizado após ter desenvolvido "sintomas ligeiros" de covid-19, anunciou hoje o Governo deste país da África Austral.

"O primeiro-ministro, Ambrose Mandvulo Dlamini, desenvolveu sintomas ligeiros de covid-19 e será monitorizado a partir de um hospital", refere o comunicado assinado pelo porta-voz do Governo, Sabelo Dlamini.

No passado dia 15, o Governo anunciou que Ambrose Mandvulo Dlamini, primeiro-ministro desde Outubro de 2018, tinha testado positivo para o coronavírus SARS-CoV-2, tendo o executivo afirmado que este era "assintomático", que se "sentia bem" e que estava isolado.

"Vou continuar a trabalhar a partir de casa", disse então o primeiro-ministro, que estava a ser acompanhado por membros do Ministério da Saúde.

Essuatíni, a última monarquia absoluta em África, liderada pelo rei Mswati III, conta com uma população estimada de 1,1 milhões de pessoas e registou 6.219 casos de infecção, incluindo 120 mortes e 5.858 recuperados, de acordo com os mais recentes dados.

"O primeiro-ministro, Ambrose Mandvulo Dlamini, desenvolveu sintomas ligeiros de covid-19 e será monitorizado a partir de um hospital", refere o comunicado assinado pelo porta-voz do Governo, Sabelo Dlamini.

No passado dia 15, o Governo anunciou que Ambrose Mandvulo Dlamini, primeiro-ministro desde Outubro de 2018, tinha testado positivo para o coronavírus SARS-CoV-2, tendo o executivo afirmado que este era "assintomático", que se "sentia bem" e que estava isolado.

"Vou continuar a trabalhar a partir de casa", disse então o primeiro-ministro, que estava a ser acompanhado por membros do Ministério da Saúde.

Essuatíni, a última monarquia absoluta em África, liderada pelo rei Mswati III, conta com uma população estimada de 1,1 milhões de pessoas e registou 6.219 casos de infecção, incluindo 120 mortes e 5.858 recuperados, de acordo com os mais recentes dados.