RDC: Tribunal de apelação condena Vital Kamerhe a 13 anos de trabalhos forçados

  • Presidente da RDC, Félix Tshisekedi
Kinshasa – O tribunal de apelação de Kinshasa condenou terça-feira, 15, Vital Kamerhe, antigo director de gabinete do Presidente Félix Tshisekedi, a 13 anos de trabalhos forçados, noticia o jornal congolês 7sur7.cd.

O mesmo tribunal condenou o empresário Samih Jammal a seis anos de trabalhos forçados, enquanto Jeannot Muhima, foi punido com um ano da mesma pena.

Antes, aquela instância judiciária rejeitou o pedido do reinício dos debates introduzido por Vital Kamerhe, bem como os apelos de Hamida Chahur, Soraya Mpiana, Daida Mpiana e de Daniel Shangalume Nkingi. 

Recorde-se que Vital Kamerhe e Samih Jammal haviam sido condenados em primeiro grau a 20 anos de trabalhos forçados por desvio de bens públicos, no quadro do programa de urgência de 100 dias do chefe de Estado, no domínio da construção de casas pré-fabricadas.

A União para a Nação Congolesa (UNC), seu partido político, através do seu secretário-geral, Billy Kambale, avisou que em caso de não libertação do seu presidente, reunir-se-ia, para escolher uma das várias opções que tem sobre a mesa.

O mesmo tribunal condenou o empresário Samih Jammal a seis anos de trabalhos forçados, enquanto Jeannot Muhima, foi punido com um ano da mesma pena.

Antes, aquela instância judiciária rejeitou o pedido do reinício dos debates introduzido por Vital Kamerhe, bem como os apelos de Hamida Chahur, Soraya Mpiana, Daida Mpiana e de Daniel Shangalume Nkingi. 

Recorde-se que Vital Kamerhe e Samih Jammal haviam sido condenados em primeiro grau a 20 anos de trabalhos forçados por desvio de bens públicos, no quadro do programa de urgência de 100 dias do chefe de Estado, no domínio da construção de casas pré-fabricadas.

A União para a Nação Congolesa (UNC), seu partido político, através do seu secretário-geral, Billy Kambale, avisou que em caso de não libertação do seu presidente, reunir-se-ia, para escolher uma das várias opções que tem sobre a mesa.