Rei de Marrocos suspende 'Festa do Trono' pelo segundo ano consecutivo

  • Bandeira de Marrocos
Rabat - O rei Mohamed VI de Marrocos suspendeu, pelo segundo ano consecutivo, as festividades relacionadas com a Festa do Trono, que comemora este ano o 22º aniversário da entronização do monarca, devido ao aumento dos casos de covid-19.

"No âmbito do acompanhamento das medidas preventivas impostas pela evolução da situação sanitária, foi decidido adiar todas as actividades, festividades e cerimónias relacionadas com a ocasião", informou o Ministério da Casa Real e Protocolo, em comunicado divulgado hoje pela agência oficial MAP, citado pela agência de notícias espanhola EFE.

Segundo a nota, foi suspensa a recepção organizada pelo monarca, na qual comparecem numerosas personalidades, a cerimónia de tomada de posse dos oficiais formados nas diferentes escolas militares, paramilitares e civis, a tradicional "cerimónia da 'beia'", em que os notáveis prestam homenagem ao rei, assim como os desfiles de rua que atraem regularmente milhares de cidadãos.

Das actividades previstas, apenas será mantido o discurso que Mohamed VI fará à Nação, segundo a nota da Casa Real, que não especifica a data do discurso, o qual, em anos anteriores, foi proferido na véspera da festa (próxima sexta-feira).

As autoridades marroquinas de saúde alertaram recentemente para um aumento de 91% nos casos positivos relacionados com o novo coronavirus, nas últimas duas semanas, sublinhando que o país entrou numa nova fase de disseminação do vírus, o que levou a um reforço de restrições e de medidas preventivas, nos últimos dias.

Enquanto isso, a campanha de vacinação avança em todo o país, com mais de 9,7 milhões de marroquinos vacinados até agora, o que representa mais de um terço da população vacinada.

"No âmbito do acompanhamento das medidas preventivas impostas pela evolução da situação sanitária, foi decidido adiar todas as actividades, festividades e cerimónias relacionadas com a ocasião", informou o Ministério da Casa Real e Protocolo, em comunicado divulgado hoje pela agência oficial MAP, citado pela agência de notícias espanhola EFE.

Segundo a nota, foi suspensa a recepção organizada pelo monarca, na qual comparecem numerosas personalidades, a cerimónia de tomada de posse dos oficiais formados nas diferentes escolas militares, paramilitares e civis, a tradicional "cerimónia da 'beia'", em que os notáveis prestam homenagem ao rei, assim como os desfiles de rua que atraem regularmente milhares de cidadãos.

Das actividades previstas, apenas será mantido o discurso que Mohamed VI fará à Nação, segundo a nota da Casa Real, que não especifica a data do discurso, o qual, em anos anteriores, foi proferido na véspera da festa (próxima sexta-feira).

As autoridades marroquinas de saúde alertaram recentemente para um aumento de 91% nos casos positivos relacionados com o novo coronavirus, nas últimas duas semanas, sublinhando que o país entrou numa nova fase de disseminação do vírus, o que levou a um reforço de restrições e de medidas preventivas, nos últimos dias.

Enquanto isso, a campanha de vacinação avança em todo o país, com mais de 9,7 milhões de marroquinos vacinados até agora, o que representa mais de um terço da população vacinada.