Situação no Tchad domina conversa telefónica entre líderes líbio e nigerino

Tripoli, Líbia - O presidente do Conselho Presidencial líbio, Mohamed Al-Manfi, manteve uma conversa telefónica, nesta quarta-feira, com o chefe de Estado do Níger, Mohamed Bazoum, para abordar a situação actual no Tchad, noticiou a PANA.

Um comunicado oficial precisa que Al-Manfi e Bazoum sublinharam a necessidade de a União Africana (UA) assumir o seu papel e tomar medidas para reduzir  as tensões na região.


Eles sublinharam também a necessidade de uma coordenação conjunta para encontrar uma solução para os problemas comuns e garantir a estabilidade, de acordo com a mesma fonte.


 Durante a conversa telefónica, Al-Manfi felicitou Bazoum pela sua eleição à Presidência do Níger e pelo advento do mês sagrado do Ramadão.
O Exército tchadiano anunciou, terça-feira, a morte do Presidente Idriss Deby Itno, na alegadamente na sequência de ferimentos contraídos durante combates contra os rebeldes no norte do país, no último fim de semana.


O novo Conselho Militar de Transição (CMT), instaurado no Tchad e dirigido pelo filho do Presidente Déby, assumiu a gestão dos assuntos do país por um período de transição de 18 meses, enquanto as forças da oposição afirmaram a continuação das suas operações contra o Exército.

 

Um comunicado oficial precisa que Al-Manfi e Bazoum sublinharam a necessidade de a União Africana (UA) assumir o seu papel e tomar medidas para reduzir  as tensões na região.


Eles sublinharam também a necessidade de uma coordenação conjunta para encontrar uma solução para os problemas comuns e garantir a estabilidade, de acordo com a mesma fonte.


 Durante a conversa telefónica, Al-Manfi felicitou Bazoum pela sua eleição à Presidência do Níger e pelo advento do mês sagrado do Ramadão.
O Exército tchadiano anunciou, terça-feira, a morte do Presidente Idriss Deby Itno, na alegadamente na sequência de ferimentos contraídos durante combates contra os rebeldes no norte do país, no último fim de semana.


O novo Conselho Militar de Transição (CMT), instaurado no Tchad e dirigido pelo filho do Presidente Déby, assumiu a gestão dos assuntos do país por um período de transição de 18 meses, enquanto as forças da oposição afirmaram a continuação das suas operações contra o Exército.