Três pessoas mortas e outras 20 raptadas

  • Alunos do ensino pré-escolar
Lagos - Três pessoas foram mortas e outras 20, incluindo 15 estudantes, foram raptadas numa escola agrícola no estado de Zamfara, no noroeste da Nigéria, confirmaram hoje responsáveis do estabelecimento de ensino.

"Homens armados não identificados atacaram a escola por volta das 22:00 de domingo", disse um funcionário, Aminu Khalid Maradun, citado pela agência France-Presse. "Mataram três pessoas (...) e raptaram 20, incluindo 15 estudantes", acrescentou.

As outras cinco pessoas raptadas eram empregados da escola e familiares seus, adiantou outro funcionário, que também confirmou o ataque.

"Os pistoleiros forçaram a entrada na escola (...) e levaram os reféns", disse Abdullahi Aminu, um responsável da administração. E "mataram três agentes de segurança num tiroteio", referiu.

O mesmo funcionário revelou ter recebido um telefonema dos raptores hoje de manhã a dizerem que tinham 20 reféns.

"Saí da escola no domingo por volta das 17:30. Esta manhã um amigo telefonou-me para dizer que os bandidos tinham atacado a escola durante a noite. Eles mataram algumas pessoas e raptaram muitas", confirmou um estudante, Usman Usman, 22 anos.

Este é o mais recente episódio de uma onda de raptos em massa levados a cabo por grupos criminosos fortemente armados no norte e no centro da Nigéria.

Estes "bandidos", como são conhecidos localmente, geralmente atacam aldeias para pilhar, roubar gado e raptar civis em troca de resgate, mas desde o início do ano que têm mais como alvo escolas e colégios.

Cerca de 1.000 estudantes e alunos foram raptados em vários estados nigerianos desde Dezembro de 2020, de acordo com a Organização das Nações Unidas.

A maioria foi libertada após negociações com as autoridades locais, mas algumas permanecem nas mãos dos raptores.

O anterior rapto em massa ocorreu emJulho, quando um grupo de homens armados raptaram 121 estudantes da Bethel Baptist High School no estado de Kaduna.

"Homens armados não identificados atacaram a escola por volta das 22:00 de domingo", disse um funcionário, Aminu Khalid Maradun, citado pela agência France-Presse. "Mataram três pessoas (...) e raptaram 20, incluindo 15 estudantes", acrescentou.

As outras cinco pessoas raptadas eram empregados da escola e familiares seus, adiantou outro funcionário, que também confirmou o ataque.

"Os pistoleiros forçaram a entrada na escola (...) e levaram os reféns", disse Abdullahi Aminu, um responsável da administração. E "mataram três agentes de segurança num tiroteio", referiu.

O mesmo funcionário revelou ter recebido um telefonema dos raptores hoje de manhã a dizerem que tinham 20 reféns.

"Saí da escola no domingo por volta das 17:30. Esta manhã um amigo telefonou-me para dizer que os bandidos tinham atacado a escola durante a noite. Eles mataram algumas pessoas e raptaram muitas", confirmou um estudante, Usman Usman, 22 anos.

Este é o mais recente episódio de uma onda de raptos em massa levados a cabo por grupos criminosos fortemente armados no norte e no centro da Nigéria.

Estes "bandidos", como são conhecidos localmente, geralmente atacam aldeias para pilhar, roubar gado e raptar civis em troca de resgate, mas desde o início do ano que têm mais como alvo escolas e colégios.

Cerca de 1.000 estudantes e alunos foram raptados em vários estados nigerianos desde Dezembro de 2020, de acordo com a Organização das Nações Unidas.

A maioria foi libertada após negociações com as autoridades locais, mas algumas permanecem nas mãos dos raptores.

O anterior rapto em massa ocorreu emJulho, quando um grupo de homens armados raptaram 121 estudantes da Bethel Baptist High School no estado de Kaduna.