Tudo a postos para as eleições autárquicas na África do Sul

  • África do Sul: Cidade de Joanesburgo
Pretória (Da correspondente) - A África do Sul está “tecnicamente preparada” para realizar as Eleições do Governo Local de 2021, disse a Comissão Eleitoral Independente (IEC).

O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira na cidade de Centurion, província de Gauteng, pelo Presidente da Comissão Eleitoral Independente (IEC), Glen Mashinini, durante o lançamento oficial das Eleições Municipais.
 
Na ocasião, a IEC lançou uma campanha de mobilização destinada a encorajar os eleitores elegíveis a registarem-se e a participarem no pleito que terá lugar em Outubro de 2021.
 
A campanha de mobilização nacional, sob o lema "Todas as Vozes Juntas", foi lançada em duas fases, envolvendo a televisão, a rádio, canais digitais e anúncios  ambulante.
 
Glen Mashinini admitiu que a preparação para as quintas eleições municipais do país, em condições tão incertas e imprevisíveis, acabou por apresentar à IEC um dos actos de equilíbrio mais difíceis da história democrática.
 
Acrescentou que a IEC está literalmente a caminhar na “corda bamba".
 
Para ele, a essência eleitoral pode tornar-se um evento de risco com perdas de vidas humanas devido à pandemia, por um lado, e a eventualidade da não realização das eleições, por outro.
 
Explicou que o segundo cenário significaria uma violação da Constituição do País,  levaria a um recuo democrático e criaria um precedente indesejável para o futuro.
 
Glen Mashinini disse que com base na Constituição, na Lei, na prontidão operacional para as eleições, bem como numa avaliação completa das actuais condições de pandemia, a IEC conclui que “estamos tecnicamente prontos para realizar as eleições municipais de 2021".
 
Disse ainda que, a IEC também se baseou nas experiências de mais de 100 países e territórios em todo o mundo, que realizaram com sucesso eleições sob as condições da covid-19.

O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira na cidade de Centurion, província de Gauteng, pelo Presidente da Comissão Eleitoral Independente (IEC), Glen Mashinini, durante o lançamento oficial das Eleições Municipais.
 
Na ocasião, a IEC lançou uma campanha de mobilização destinada a encorajar os eleitores elegíveis a registarem-se e a participarem no pleito que terá lugar em Outubro de 2021.
 
A campanha de mobilização nacional, sob o lema "Todas as Vozes Juntas", foi lançada em duas fases, envolvendo a televisão, a rádio, canais digitais e anúncios  ambulante.
 
Glen Mashinini admitiu que a preparação para as quintas eleições municipais do país, em condições tão incertas e imprevisíveis, acabou por apresentar à IEC um dos actos de equilíbrio mais difíceis da história democrática.
 
Acrescentou que a IEC está literalmente a caminhar na “corda bamba".
 
Para ele, a essência eleitoral pode tornar-se um evento de risco com perdas de vidas humanas devido à pandemia, por um lado, e a eventualidade da não realização das eleições, por outro.
 
Explicou que o segundo cenário significaria uma violação da Constituição do País,  levaria a um recuo democrático e criaria um precedente indesejável para o futuro.
 
Glen Mashinini disse que com base na Constituição, na Lei, na prontidão operacional para as eleições, bem como numa avaliação completa das actuais condições de pandemia, a IEC conclui que “estamos tecnicamente prontos para realizar as eleições municipais de 2021".
 
Disse ainda que, a IEC também se baseou nas experiências de mais de 100 países e territórios em todo o mundo, que realizaram com sucesso eleições sob as condições da covid-19.