Tunísia: EUA preocupados com as medidas excepcionais do Presidente Saied

  • Bandeira da Tunísia
Washington – Os Estados Unidos da América exprimiram sábado, 25, a sua preocupação face às “medidas de excepção” do Presidente tunisino, Kaïs Saïed, e esperam que seja formado um governo na Tunísia, que responda às aspiraçoes dos seus cidadãos e a elaboração de um plano com um calendário claro visando iniciar um processo processus de reforma inclusiva.

A preocupação vem expressa num ponto de imprensa do porta-voz do Departamento do Estado Amérciano, Ned Price, cujo extrato foi publicado na pagima oficial Facebook da Embaixada dos EUA na Tunisia.

Segundo um comunicado da Presidência tunisina e o decreto presidencial numero 2021-117, de 22 de de Setembro de 2021, publicado no Diário da República, quarta-feira, 22, o chefe de Estado decidiu eliminar a instância provisória de controlo sa constitucionalidade dos projectos-de-lei, legislar por decretos presidenciais e exercer o poder executivo com a ajuda de um governo.

O alto funcionário do Departamento de Estado apelou ao Presidente tusino a nomear um “Primeiro-ministro para formar um governo capaz de atender às urgentes necessidades”.

A Tunísia vive uma grave crise política desde que Saied decidiu, à 25 de Julho, demitir o Primeiro-ministro, Hichem Mechichi, congelar os poderes do Parlamento por um período de 30 dias, e levantar as imunidades dos deputados no quadro das medidas de excepção.

 Kaïs Saïed anunciou também que assumiria o poder executivo com a ajuda de um governo que nomearia e, nos dias seguintes, efectuou uma série de exonerações de ministros e de altos responsáveis do aparelho do Estado.

A preocupação vem expressa num ponto de imprensa do porta-voz do Departamento do Estado Amérciano, Ned Price, cujo extrato foi publicado na pagima oficial Facebook da Embaixada dos EUA na Tunisia.

Segundo um comunicado da Presidência tunisina e o decreto presidencial numero 2021-117, de 22 de de Setembro de 2021, publicado no Diário da República, quarta-feira, 22, o chefe de Estado decidiu eliminar a instância provisória de controlo sa constitucionalidade dos projectos-de-lei, legislar por decretos presidenciais e exercer o poder executivo com a ajuda de um governo.

O alto funcionário do Departamento de Estado apelou ao Presidente tusino a nomear um “Primeiro-ministro para formar um governo capaz de atender às urgentes necessidades”.

A Tunísia vive uma grave crise política desde que Saied decidiu, à 25 de Julho, demitir o Primeiro-ministro, Hichem Mechichi, congelar os poderes do Parlamento por um período de 30 dias, e levantar as imunidades dos deputados no quadro das medidas de excepção.

 Kaïs Saïed anunciou também que assumiria o poder executivo com a ajuda de um governo que nomearia e, nos dias seguintes, efectuou uma série de exonerações de ministros e de altos responsáveis do aparelho do Estado.