Tunísia: PR Saïed exige acção rápida sobre activos de Ben Ali no estrangeiro

Túnis - O presidente tunisino, Kais Saïed, exigiu que sejam tomadas acções rápidas para recuperar os "fundos desviados" depositados no estrangeiro por Zine El Abidine Ben Ali e seus familiares, antes da expiração dos prazos legais ligados ao seu congelamento.

O estadista fez estas declarações no sábado num encontro com o chefe do Governo tunisino, Hichem Mechichi, no Palácio Presidencial de Cartago.
Durante a audiência, Saïed sublinhou “a necessidade de agir o mais rapidamente possível para que os prazos legais relativos ao congelamento dos fundos desviados depositados no estrangeiro não expirem e para que não sejam perdidos os direitos do povo tunisino".
A organização tunisiana (independente) "I Watch" alertou na sexta-feira que o prazo legal para congelar os activos de Ben Ali na Suíça vai expirar na terça-feira. Estes fundos estão estimados, segundo o jornal suíço "Le Temps" , em 200 milhões de francos suíços (cerca de 225 milhões de dólares).
Dias antes, o jornal havia igualmente noticiado que grande parte dos fundos de Ben Ali e de 36 membros da sua família, para os quais o Conselho Federal Suíço emitiu uma ordem de congelamento a 19 de Janeiro de 2011, poderiam ser recuperados pela família do presidente deposto após a expiração do prazo legal de 10 anos.

O estadista fez estas declarações no sábado num encontro com o chefe do Governo tunisino, Hichem Mechichi, no Palácio Presidencial de Cartago.
Durante a audiência, Saïed sublinhou “a necessidade de agir o mais rapidamente possível para que os prazos legais relativos ao congelamento dos fundos desviados depositados no estrangeiro não expirem e para que não sejam perdidos os direitos do povo tunisino".
A organização tunisiana (independente) "I Watch" alertou na sexta-feira que o prazo legal para congelar os activos de Ben Ali na Suíça vai expirar na terça-feira. Estes fundos estão estimados, segundo o jornal suíço "Le Temps" , em 200 milhões de francos suíços (cerca de 225 milhões de dólares).
Dias antes, o jornal havia igualmente noticiado que grande parte dos fundos de Ben Ali e de 36 membros da sua família, para os quais o Conselho Federal Suíço emitiu uma ordem de congelamento a 19 de Janeiro de 2011, poderiam ser recuperados pela família do presidente deposto após a expiração do prazo legal de 10 anos.