Zâmbia e Botswana inauguram ponte transfronteiriça regional

Lusaka – A Zâmbia e o Botswana inauguraram hoje uma ponte que liga os dois países, numa cerimónia em que o presidente zambiano, Edgar Lungu, saudou a China e outros parceiros de cooperação pelo financiamento do projecto.

A ponte de Kazungula, com 923 metros de comprimento, é descrita como um elemento decisivo na promoção do comércio entre os dois países e em toda a região da África Austral.

Orçada em 259,3 milhões de dólares, a infraestrutura comporta uma estrada que atravessa o Rio Zambeze e um posto fronteiriço para os dois países. A construção começou em 2014.

O presidente Lungu, que inaugurou a ponte da parte zambiana, indicou que o projecto não poderia ter sido executado sem o apoio financeiro da China, Japão, Coreia do Sul e do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

"Este projecto de centenas de milhões de dólares exigiu diversos recursos e contribuições para tornar a visão uma realidade", acrescentou.

Segundo o estadista, a obra ilustra a essência da cooperação em matéria de desenvolvimento e simboliza o espírito de solidariedade a nível mundial.

A construção da ponte, prosseguiu, vai melhorar a circulação com tempo de trânsito reduzido na fronteira, bem como optimizará as medidas de facilitação do comércio e das operações de gestão transfronteiriças graças a um único posto de fronteira.

“Isto reduzirá o custo das trocas comerciais e, assim, levará ao aumento do comércio e da competitividade, à criação de empregos, ao turismo e a outras consequências positivas”, acrescentou Lungu.

O líder zambiano sublinhou que a conclusão da ponte foi oportuna, uma vez que irá facilitar o aumento do comércio intra-africano e a integração regional e continental.

O presidente do Botswana, Mokgweetsi Masisi, por sua vez, inaugurou o posto fronteiriço do lado do Botswana.

A ponte de Kazungula, com 923 metros de comprimento, é descrita como um elemento decisivo na promoção do comércio entre os dois países e em toda a região da África Austral.

Orçada em 259,3 milhões de dólares, a infraestrutura comporta uma estrada que atravessa o Rio Zambeze e um posto fronteiriço para os dois países. A construção começou em 2014.

O presidente Lungu, que inaugurou a ponte da parte zambiana, indicou que o projecto não poderia ter sido executado sem o apoio financeiro da China, Japão, Coreia do Sul e do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

"Este projecto de centenas de milhões de dólares exigiu diversos recursos e contribuições para tornar a visão uma realidade", acrescentou.

Segundo o estadista, a obra ilustra a essência da cooperação em matéria de desenvolvimento e simboliza o espírito de solidariedade a nível mundial.

A construção da ponte, prosseguiu, vai melhorar a circulação com tempo de trânsito reduzido na fronteira, bem como optimizará as medidas de facilitação do comércio e das operações de gestão transfronteiriças graças a um único posto de fronteira.

“Isto reduzirá o custo das trocas comerciais e, assim, levará ao aumento do comércio e da competitividade, à criação de empregos, ao turismo e a outras consequências positivas”, acrescentou Lungu.

O líder zambiano sublinhou que a conclusão da ponte foi oportuna, uma vez que irá facilitar o aumento do comércio intra-africano e a integração regional e continental.

O presidente do Botswana, Mokgweetsi Masisi, por sua vez, inaugurou o posto fronteiriço do lado do Botswana.