Cadeia do Caboxa prevê colher mais de 80 toneladas de produtos diversos

Caxito – O estabelecimento penitenciário do Caboxa, na província do Bengo, prevê produzir cerca de 86 toneladas de produtos diversos, durante a campanha agrícola 2020/2021, cifra superior aos trinta e uma toneladas e 60 quilogramas colhidas em 2019/2020.

O estabelecimento penitenciário de Caboxa dispõe no total de 132 hectares, dos quais 38 estão em produção.

Para a primeira fase, que compreende o período de Novembro de 2020 a Abril de 2021, estão preparados 16 hectares, dos quais seis para o cultivo de banana pão, três de mandioca, dois do milho, igual número de batata-doce, de banana de mesa e um de ginguba.

Na segunda fase, que vai de Abril a Outubro de 2021, há a previsão do cultivo de uma área de 22 hectares, sendo 10 de tomate, quatro de cebola, dois de repolho, igual número de couve, beringela, um de cenoura, meio hectare de beterraba e de alface.

O director da penitenciária do Caboxa, subcomissário prisional Manuel Maria Tavares Culeca, referiu que nesta campanha agrícola estão envolvidos 209 reclusos e maquinaria.

A produção agrícola na penitenciária destina-se ao consumo interno e visa melhorar a dieta alimentar dos reclusos e efectivos.

O responsável defendeu a necessidade de se aplicar as políticas de reinserção social dos reclusos internados no estabelecimento penitenciário, com vista o cumprimento das normas que orientam a ocupação do tempo destes, dando-lhes ferramentas necessárias para a sua reintegração na sociedade, depois de cumprirem as suas penas.

Os reclusos agradeceram o apoio dos serviços prisionais do Caboxa pelas várias actividades sociais desenvolvidas na cadeia do Caboxa, sublinhando que a instituição tem implementado políticas que visam melhorar as acções comportamentais.

O estabelecimento penitenciário de Caboxa dispõe no total de 132 hectares, dos quais 38 estão em produção.

Para a primeira fase, que compreende o período de Novembro de 2020 a Abril de 2021, estão preparados 16 hectares, dos quais seis para o cultivo de banana pão, três de mandioca, dois do milho, igual número de batata-doce, de banana de mesa e um de ginguba.

Na segunda fase, que vai de Abril a Outubro de 2021, há a previsão do cultivo de uma área de 22 hectares, sendo 10 de tomate, quatro de cebola, dois de repolho, igual número de couve, beringela, um de cenoura, meio hectare de beterraba e de alface.

O director da penitenciária do Caboxa, subcomissário prisional Manuel Maria Tavares Culeca, referiu que nesta campanha agrícola estão envolvidos 209 reclusos e maquinaria.

A produção agrícola na penitenciária destina-se ao consumo interno e visa melhorar a dieta alimentar dos reclusos e efectivos.

O responsável defendeu a necessidade de se aplicar as políticas de reinserção social dos reclusos internados no estabelecimento penitenciário, com vista o cumprimento das normas que orientam a ocupação do tempo destes, dando-lhes ferramentas necessárias para a sua reintegração na sociedade, depois de cumprirem as suas penas.

Os reclusos agradeceram o apoio dos serviços prisionais do Caboxa pelas várias actividades sociais desenvolvidas na cadeia do Caboxa, sublinhando que a instituição tem implementado políticas que visam melhorar as acções comportamentais.