Mais de 100 ex-militares beneficiam de inputs agrícolas

  • Agricultura
Andulo - Cento e vinte ex-militares do município do Andulo, a 130 quilómetros a norte da cidade do Cuito, província do Bié, beneficiaram na quinta-feira de inputs agrícolas, no âmbito do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza/2021.

 

Dos meios entregues pela administradora do Andulo, Celeste Adolfo Elavoko, na aldeia de Chokelevende, constam adubos, amónios, ureia, calcário, enxadas, catanas, limas e sementes diversas.

Na ocasião, os beneficiários destacaram a importância dos inputs agrícolas na medida em que estimulam o aumento da produção do milho, feijão, batata-rena e doce e hortícolas diversas (repolho, couves, cenoura, tomate, pimento, cebola, alho e outros tubérculos) em benefício das comunidades.

Para a administradora do Andulo, Celeste Adolfo, a acção visa incentivar os ex-militares apostarem na agricultura, diversificar a economia local, assim como contribuir na redução dos níveis de pobreza nas comunidades.

Em Janeiro deste ano, 120 famílias camponesas, das associações e cooperativas das aldeias de Hungula, Lucucu, Dondeiro e Bunja, beneficiaram de fertilizantes e sementes, também no âmbito do Programa de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

No mesmo período, as famílias receberam ainda kits de soda cáustica, para facilitar a produção do sabão caseiro.

Em Outubro de 2020, outras 17 associações e cooperativas agrícolas receberam instrumentos de trabalho como tractores, charruas, enxadas, catanas, adubos e sementes de feijão, batata e milho.

Na campanha agrícola 2020/2022, no Andulo, foram preparados mais de 80 mil hectares (mais 15 mil em relação à época passada) para o cultivo do milho, feijão, batata, mandioca e outros.

O Andulo tem uma população perto de 300 mil habitantes e controla 150 cooperativas e cerca de 300 associações de camponeses, que fazem da agricultura a principal fonte de rendimento.

 

 

 

 

 

Dos meios entregues pela administradora do Andulo, Celeste Adolfo Elavoko, na aldeia de Chokelevende, constam adubos, amónios, ureia, calcário, enxadas, catanas, limas e sementes diversas.

Na ocasião, os beneficiários destacaram a importância dos inputs agrícolas na medida em que estimulam o aumento da produção do milho, feijão, batata-rena e doce e hortícolas diversas (repolho, couves, cenoura, tomate, pimento, cebola, alho e outros tubérculos) em benefício das comunidades.

Para a administradora do Andulo, Celeste Adolfo, a acção visa incentivar os ex-militares apostarem na agricultura, diversificar a economia local, assim como contribuir na redução dos níveis de pobreza nas comunidades.

Em Janeiro deste ano, 120 famílias camponesas, das associações e cooperativas das aldeias de Hungula, Lucucu, Dondeiro e Bunja, beneficiaram de fertilizantes e sementes, também no âmbito do Programa de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

No mesmo período, as famílias receberam ainda kits de soda cáustica, para facilitar a produção do sabão caseiro.

Em Outubro de 2020, outras 17 associações e cooperativas agrícolas receberam instrumentos de trabalho como tractores, charruas, enxadas, catanas, adubos e sementes de feijão, batata e milho.

Na campanha agrícola 2020/2022, no Andulo, foram preparados mais de 80 mil hectares (mais 15 mil em relação à época passada) para o cultivo do milho, feijão, batata, mandioca e outros.

O Andulo tem uma população perto de 300 mil habitantes e controla 150 cooperativas e cerca de 300 associações de camponeses, que fazem da agricultura a principal fonte de rendimento.