Agricultora canaliza meios para combate à praga de gafanhotos

Menongue - O governo do Cuando Cubango começou a receber, no princípio deste mês, do Ministério da Agricultura e Pescas, meios para o combate à praga de gafanhotos.

A praga de gafanhotos está a “devorar” as culturas de milho, massango, hortícolas e outras nos municípios do interior da província, desde o mês passado de Outubro.

Até ao momento receberam insecticidas, botas e capas plásticas, confirmou o director do Gabinete Provincial da Agricultura, António Pereira Vicente,  assegurando que estes fazem parte do primeiro pacote tecnológico, sendo que as três viaturas 4x4 equipadas com atomizadores e mais 12 atomizadores deste pacote chegam a província nesta quinta-feira.

De acordo com o responsável, estão em curso estudos para a utilização de aviões nas zonas afectadas, nos municípios Rivungo, Dirico, Mavinga, Cuangar e Calai, onde mais de 20 mil pessoas camponesas estão ameaçados pela fome, caso a problemática não for solucionada atempadamente.

Já a administradora do município de Mavinga, Odeth Maria José, informou que os gafanhotos invadiram as lavras na sede municipal, uma situação que está a preocupar as famílias camponesas, porquanto estão a consumir as ulturas das baixas e em mais de 20 hectares, principalmente o milho.

Estão, neste sentido, a ser prejudicadas mais de 10 mil famílias camponesas só na sede de Mavinga, a par da comuna do Licua, onde existe um grupo afectado mais que ainda, por falta de comunicação via telefónica móvel, não se tem o número exacto.

Para afugentar os gafanhotos, a administração municipal está, de momento, a aconselhar as famílias camponesas a realizar fumaças a volta das lavras, uma vez que a dada altura desaparecem nas matas, em função do sol ardente, e quando minimizam as intensidades do sol regressam às lavras.

Defendeu a urgente necessidade do envio de pulverizadores com insecticidas e meios aéreos para dar cobro à situação, uma vez que com viaturas será impossível em função das quantidades de gafanhotos.

A província do Cuando Cubango, situada a sudeste de Angola, tem nove municípios e 32 comunas com terras aráveis para o fomento da actividade agrícola anualmente, bem como mais de 30 rios para a prática da agricultura nas baixas, sendo que a sua população, estimada em mais de 600 mil habitantes, é maioritariamente camponesa.

A praga de gafanhotos está a “devorar” as culturas de milho, massango, hortícolas e outras nos municípios do interior da província, desde o mês passado de Outubro.

Até ao momento receberam insecticidas, botas e capas plásticas, confirmou o director do Gabinete Provincial da Agricultura, António Pereira Vicente,  assegurando que estes fazem parte do primeiro pacote tecnológico, sendo que as três viaturas 4x4 equipadas com atomizadores e mais 12 atomizadores deste pacote chegam a província nesta quinta-feira.

De acordo com o responsável, estão em curso estudos para a utilização de aviões nas zonas afectadas, nos municípios Rivungo, Dirico, Mavinga, Cuangar e Calai, onde mais de 20 mil pessoas camponesas estão ameaçados pela fome, caso a problemática não for solucionada atempadamente.

Já a administradora do município de Mavinga, Odeth Maria José, informou que os gafanhotos invadiram as lavras na sede municipal, uma situação que está a preocupar as famílias camponesas, porquanto estão a consumir as ulturas das baixas e em mais de 20 hectares, principalmente o milho.

Estão, neste sentido, a ser prejudicadas mais de 10 mil famílias camponesas só na sede de Mavinga, a par da comuna do Licua, onde existe um grupo afectado mais que ainda, por falta de comunicação via telefónica móvel, não se tem o número exacto.

Para afugentar os gafanhotos, a administração municipal está, de momento, a aconselhar as famílias camponesas a realizar fumaças a volta das lavras, uma vez que a dada altura desaparecem nas matas, em função do sol ardente, e quando minimizam as intensidades do sol regressam às lavras.

Defendeu a urgente necessidade do envio de pulverizadores com insecticidas e meios aéreos para dar cobro à situação, uma vez que com viaturas será impossível em função das quantidades de gafanhotos.

A província do Cuando Cubango, situada a sudeste de Angola, tem nove municípios e 32 comunas com terras aráveis para o fomento da actividade agrícola anualmente, bem como mais de 30 rios para a prática da agricultura nas baixas, sendo que a sua população, estimada em mais de 600 mil habitantes, é maioritariamente camponesa.