Portadores de deficiência beneficiam de terras para agricultura

Menongue - Quarenta e duas pessoas portadoras de deficiência física residentes no Centro Kavikiviki, em Menongue, Cuando Cubango, contam desde esta quarta-feira, com sete hectares de terras preparadas para o lançamento de sementes, no âmbito do fomento da produção agrícola.

O projecto, que será acompanhado por agentes agrícolas do Gabinete Provincial da Agricultura, é uma iniciativa do governo do Cuando Cubango e prevê a distribuição, em duas fases, de 14 hectares.

Nesta primeira fase estão disponíveis os sete hectares de terras acima mencionados, bem como sementes, fertilizantes, enxadas e catanas.

A vice-governadora do Cuando Cubango para o sector político, social e económico, Carla Cativa, que orientou a cerimónia de entrega do terreno e sementes, explicou que actividade enquadra-se no apoio às famílias desfavorecidas e no incentivo à agricultura familiar.

Para o efeito, o governo provincial, através do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, gizou um plano para a cedência de terras aos populares do centro Kavikiviki.

“O povo é trabalhador e impõem-se o desafio da melhoria da sua própria sustentabilidade, uma vez que muitos não trabalham e outros estão fora das suas famílias e dependem apenas de instituições do governo, bem como de doadores e parceiros do Estado”, sublinhou a responsável.

Com a cedência de terras, abre-se uma nova etapa voltada à descentralização do trabalho produtivo, reconheceu a vice-governadora, para quem a alegria e entusiasmo manifestado pelos beneficiários mostra de forma desafiadora que, independentemente da sua condição física, também conseguem trabalhar para a aquisição do seu sustento.

O projecto, que será acompanhado por agentes agrícolas do Gabinete Provincial da Agricultura, é uma iniciativa do governo do Cuando Cubango e prevê a distribuição, em duas fases, de 14 hectares.

Nesta primeira fase estão disponíveis os sete hectares de terras acima mencionados, bem como sementes, fertilizantes, enxadas e catanas.

A vice-governadora do Cuando Cubango para o sector político, social e económico, Carla Cativa, que orientou a cerimónia de entrega do terreno e sementes, explicou que actividade enquadra-se no apoio às famílias desfavorecidas e no incentivo à agricultura familiar.

Para o efeito, o governo provincial, através do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, gizou um plano para a cedência de terras aos populares do centro Kavikiviki.

“O povo é trabalhador e impõem-se o desafio da melhoria da sua própria sustentabilidade, uma vez que muitos não trabalham e outros estão fora das suas famílias e dependem apenas de instituições do governo, bem como de doadores e parceiros do Estado”, sublinhou a responsável.

Com a cedência de terras, abre-se uma nova etapa voltada à descentralização do trabalho produtivo, reconheceu a vice-governadora, para quem a alegria e entusiasmo manifestado pelos beneficiários mostra de forma desafiadora que, independentemente da sua condição física, também conseguem trabalhar para a aquisição do seu sustento.