EUA disponibiliza um milhão de dólares em projecto de apoio à mulher

  • Embaixadora dos Estados Unidos da América em Angola, Nina Fite (Arquivo)
Lucala – O Governo dos Estados Unidos da América disponibilizou um milhão de dólares ( mais de 634 mil milhões de kwanzas) para o financiamento de projectos de apoio à mulher agricultora, em zonas rurais, nas província do Cuanza Norte, Malange, Cuanza Sul, Bengo, Huila e Namibe.

De acordo com a embaixadora americana em Angola, Nina Maria Fite, que falava esta segunda-feira, à imprensa, no Cuanza Norte, a doação é uma parceria público/privada, entre o Governo americano e algumas empresas petrolíferas, com fim de ajudar a mulher  que se dedica a actividade agrícola.

Com o apoio à mulher, segundo a diplomata dos EUA, em visita de trabalho de dois dias na referida província, pretende-se fomentar agricultura, diversificar a economia familiar, bem como contribuir na alfabetização, gestão de negócios, cultura jurídica em matéria de licenciamento de terras e aquisição de cidadania, por via do registo de nascimento.

No município de Lucala(Cuanza Norte), por exemplo, Nina Maria Fite, constatou o nível de execução da ajuda em 26 aldeias, onde 1500 mulheres, organizadas em 30 clubes ou grupos de produção, com 50 membros cada, estão a ser beneficiadas.

A embaixadora disse estar satisfeita com o nível de execução e resultados do projecto, que está a ser implementado desde 2020, pela ong norueguesa Ajuda para o Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), e com término em 2025.

A presidente do Conselho da Administração da ADPP em Angola, Rikke Viholm, explicou que, além da componente agrícola, o projecto abarca também educação sexual e reprodutiva, bem como combate à malária.

“ O projecto abarca também a componente comunitária destinada a ajudar  mulheres a trabalhar em grupos organizados e com iniciativa de troca de experiência em actividade agrícola, melhoria da qualidade dos solos, através da produção de compostos naturais, e variação da produção”, asseverou.

A comitiva da embaixadora americana visitou os clubes de mulheres camponesas das localidades de Bembeze e Cambungo ( a sete quilómetros da sede municipal do Lucala), onde estão actualmente inseridas mais de cinquenta senhoras no programa de alfabetização, enquanto na vertente agrícola têm cultivada uma extensão de três hectares de mandioca, com a previsão de colheita de três toneladas.

Nestas localidades, a diplomada visitou uma exposição de produtos cultivados pelas mulheres camponesas, com destaque para a mandioca, o inhame, milho, feijão, amendoim e hortícolas, bem como inteirou-se das técnicas e meios implementados nas acções de preparação de terras, fertilização dos solos e gestão da produção.

A embaixadora americana manteve ainda hoje, um encontro de cortesia com o governador do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho, de quem recebeu informações sobre as potencialidades económicas da região que podem atrair investimentos americanos.

Terça-feira, a diplomata tem prevista visita ao município de Cambambe, para se inteirar do funcionamento de vários empreendidos sócio-económicos, com destaque para as minas de ferro de Cassala-Quitungo, a fábrica Vinelo e  o perímetro irrigado do Mucoso.

De acordo com a embaixadora americana em Angola, Nina Maria Fite, que falava esta segunda-feira, à imprensa, no Cuanza Norte, a doação é uma parceria público/privada, entre o Governo americano e algumas empresas petrolíferas, com fim de ajudar a mulher  que se dedica a actividade agrícola.

Com o apoio à mulher, segundo a diplomata dos EUA, em visita de trabalho de dois dias na referida província, pretende-se fomentar agricultura, diversificar a economia familiar, bem como contribuir na alfabetização, gestão de negócios, cultura jurídica em matéria de licenciamento de terras e aquisição de cidadania, por via do registo de nascimento.

No município de Lucala(Cuanza Norte), por exemplo, Nina Maria Fite, constatou o nível de execução da ajuda em 26 aldeias, onde 1500 mulheres, organizadas em 30 clubes ou grupos de produção, com 50 membros cada, estão a ser beneficiadas.

A embaixadora disse estar satisfeita com o nível de execução e resultados do projecto, que está a ser implementado desde 2020, pela ong norueguesa Ajuda para o Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), e com término em 2025.

A presidente do Conselho da Administração da ADPP em Angola, Rikke Viholm, explicou que, além da componente agrícola, o projecto abarca também educação sexual e reprodutiva, bem como combate à malária.

“ O projecto abarca também a componente comunitária destinada a ajudar  mulheres a trabalhar em grupos organizados e com iniciativa de troca de experiência em actividade agrícola, melhoria da qualidade dos solos, através da produção de compostos naturais, e variação da produção”, asseverou.

A comitiva da embaixadora americana visitou os clubes de mulheres camponesas das localidades de Bembeze e Cambungo ( a sete quilómetros da sede municipal do Lucala), onde estão actualmente inseridas mais de cinquenta senhoras no programa de alfabetização, enquanto na vertente agrícola têm cultivada uma extensão de três hectares de mandioca, com a previsão de colheita de três toneladas.

Nestas localidades, a diplomada visitou uma exposição de produtos cultivados pelas mulheres camponesas, com destaque para a mandioca, o inhame, milho, feijão, amendoim e hortícolas, bem como inteirou-se das técnicas e meios implementados nas acções de preparação de terras, fertilização dos solos e gestão da produção.

A embaixadora americana manteve ainda hoje, um encontro de cortesia com o governador do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho, de quem recebeu informações sobre as potencialidades económicas da região que podem atrair investimentos americanos.

Terça-feira, a diplomata tem prevista visita ao município de Cambambe, para se inteirar do funcionamento de vários empreendidos sócio-económicos, com destaque para as minas de ferro de Cassala-Quitungo, a fábrica Vinelo e  o perímetro irrigado do Mucoso.