Defendida mais produção agrícola por parte das cooperativas

  • Vista parcial da cidade de Menongue, capital do Cuando Cubango
Menongue - O governador do Cuando Cubango em exercício, Afonso de Antas Miguel, defendeu na segunda-feira a necessidade das cooperativas produzirem cada vez mais alimentos para acabar com a fome e baixar a alta de preços dos produtos da cesta básica.

O governante, que discursava abertura da acção formativa das cooperativas agrícolas, no quadro do projecto de modernização da gestão das cooperativas (PROMOVE), referiu que a produção de mais alimentos passará pela contínua formação sobre técnicas produtivas e estruturação das cooperativas, com vista ao alcance de melhores resultados agrícolas nas próximas campanhas.

Conforme disse, o Governo provincial tem a consciência de que quanto mais alto forem os níveis de organização comunitária das famílias camponesas, maiores serão os níveis de produção de bens agrícolas essenciais à vida da população.

Para o também vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, a organização eficiente e sustentável dos processos produtivos determina, de forma acentuada, o nível de desenvolvimento das economias e das sociedades.

“Potenciar os operadores dessas cooperativas, com conhecimentos sobre gestão, comunicação e marketing, contabilidade e noções de direito, é, na verdade, transformar e elevar essas unidades produtivas em colectividades modernas, geridas com base em procedimentos e métodos científicos, dando-lhes uma direcção segura para melhor atingirem os objectivos dos seus associados”, ressaltou.

Apelou os departamentos tutelados pelo Gabinete para o Desenvolvimento Económico Integrado Local e Parceiros no sentido de trabalharem junto das comunidades e dos associados na consciencialização e elucidação sobre questões de distinção entre uma cooperativa e uma empresa, os passos a dar para a legalização, definição de objectivos social e finalidade, bem como a partilha das obrigações e dos benefícios resultantes do trabalho de todos.

De acordo com o responsável, com a devida organização das cooperativas agropecuárias, acrescida da actividade dos agricultores de grande escala e o contínuo apoio do Governo provincial, em potenciar com meios técnicos, sementes e fertilizantes, o Cuando Cubango poderá ser, nos próximos anos, um celeiro agrícola no país.

O governante, que discursava abertura da acção formativa das cooperativas agrícolas, no quadro do projecto de modernização da gestão das cooperativas (PROMOVE), referiu que a produção de mais alimentos passará pela contínua formação sobre técnicas produtivas e estruturação das cooperativas, com vista ao alcance de melhores resultados agrícolas nas próximas campanhas.

Conforme disse, o Governo provincial tem a consciência de que quanto mais alto forem os níveis de organização comunitária das famílias camponesas, maiores serão os níveis de produção de bens agrícolas essenciais à vida da população.

Para o também vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, a organização eficiente e sustentável dos processos produtivos determina, de forma acentuada, o nível de desenvolvimento das economias e das sociedades.

“Potenciar os operadores dessas cooperativas, com conhecimentos sobre gestão, comunicação e marketing, contabilidade e noções de direito, é, na verdade, transformar e elevar essas unidades produtivas em colectividades modernas, geridas com base em procedimentos e métodos científicos, dando-lhes uma direcção segura para melhor atingirem os objectivos dos seus associados”, ressaltou.

Apelou os departamentos tutelados pelo Gabinete para o Desenvolvimento Económico Integrado Local e Parceiros no sentido de trabalharem junto das comunidades e dos associados na consciencialização e elucidação sobre questões de distinção entre uma cooperativa e uma empresa, os passos a dar para a legalização, definição de objectivos social e finalidade, bem como a partilha das obrigações e dos benefícios resultantes do trabalho de todos.

De acordo com o responsável, com a devida organização das cooperativas agropecuárias, acrescida da actividade dos agricultores de grande escala e o contínuo apoio do Governo provincial, em potenciar com meios técnicos, sementes e fertilizantes, o Cuando Cubango poderá ser, nos próximos anos, um celeiro agrícola no país.