Camponeses perdem 82 por cento da produção no Cubal

  • AGRICULTURA
Cubal - Mais de sessenta mil famílias camponesas perderam a sua produção na primeira fase da campanha agrícola 2020/21, no município do Cubal, província de Benguela, devido a ausência prolongada de chuva na região, apurou, neste sábado, a ANGOP.

Segundo o director municipal da Agricultura, Pecuária e Pescas, Irineu Reis, a sede da circunscrição e as comunas da Yambala, Capupa e Tumbulo já perderam cerca de 82 por cento das plantações de milho, feijão e massambala, devido a estiagem.

“Para esta fase da primeira época da campanha agricola 2020/21, foram disponibilizadas quatro mil e oitocentas toneladas de cereais, mais 1.300 em relação a campanha de 2019”, informou.

Como alternativa, o director anunciou um plano de contingência, segundo o qual os camponeses vão beneficiar de 1.500 toneladas de milho, igual quantidade de feijão frade e 913 de massambala.

O responsável mostra-se esperançado no surgimento das chuvas, para inverter o espectro da fome.

Apelou as autoridades tradicionais, religiosas e líderes comunitários a incentivarem os camponeses a fazerem o uso de motobombas e a rega por canais de superfície, bem como a utilizar culturas mais resistentes à água, nomeadamente de massambala, feijão e algumas hortaliças.

“As famílias que cultivam à margem dos rios e não têm capacidade para explorar todas as áreas, o melhor é cultivar de tudo um pouco para melhorar a dieta”, defendeu o director.

Em relação a pecuária, explicou que a estiagem está igualmente a afectar o sector, embora os lençóis freáticos de alguns rios ainda sejam visíveis, mas o gado já tem sido obrigado a percorrer algumas distâncias.

O Cubal é um dos dez municípios da província de Benguela, localizado a 150 quilómetros da sede da província, e conta com uma população estimada em 340 mil habitantes.

Segundo o director municipal da Agricultura, Pecuária e Pescas, Irineu Reis, a sede da circunscrição e as comunas da Yambala, Capupa e Tumbulo já perderam cerca de 82 por cento das plantações de milho, feijão e massambala, devido a estiagem.

“Para esta fase da primeira época da campanha agricola 2020/21, foram disponibilizadas quatro mil e oitocentas toneladas de cereais, mais 1.300 em relação a campanha de 2019”, informou.

Como alternativa, o director anunciou um plano de contingência, segundo o qual os camponeses vão beneficiar de 1.500 toneladas de milho, igual quantidade de feijão frade e 913 de massambala.

O responsável mostra-se esperançado no surgimento das chuvas, para inverter o espectro da fome.

Apelou as autoridades tradicionais, religiosas e líderes comunitários a incentivarem os camponeses a fazerem o uso de motobombas e a rega por canais de superfície, bem como a utilizar culturas mais resistentes à água, nomeadamente de massambala, feijão e algumas hortaliças.

“As famílias que cultivam à margem dos rios e não têm capacidade para explorar todas as áreas, o melhor é cultivar de tudo um pouco para melhorar a dieta”, defendeu o director.

Em relação a pecuária, explicou que a estiagem está igualmente a afectar o sector, embora os lençóis freáticos de alguns rios ainda sejam visíveis, mas o gado já tem sido obrigado a percorrer algumas distâncias.

O Cubal é um dos dez municípios da província de Benguela, localizado a 150 quilómetros da sede da província, e conta com uma população estimada em 340 mil habitantes.