Executivo quer contrapor importação de frango

Cuito - O Executivo angolano está apostado para o fomento da produção avícola (aves), para contrapor o actual gasto que vai para além dos quatrocentos milhões de dólares por ano na importação do frango, assegurou hoje, na cidade do Cuito, província do Bié, o ministro da Agricultura e Pescas, Francisco de Assis.

Falando no encontro de cortesia que manteve com o governador local, Pereira Alfredo, o ministro sublinhou que o fomento passa nas acções de sensibilização para que cada família produza galinhas, assim como estão a identificar associações, camponeses e famílias camponesas para serem assistidas na produção de frango.

A ideia, segundo o governante, é fazer com que o Executivo poupe o dinheiro da importação na aquisição de máquinas, formação, entre outros, para possibilitar que o país se torne o mais breve possível auto-suficiente alimentar, não só no que tange ao sector avícola mas também da pecuária.

Francisco de Assis pediu assim aos governos provinciais no sentido de ajudarem na sua estruturação, sensibilização e materialização, junto do interior das comunidades, de modo que cada funcionário ou não possa produzir aves em grande escala, deixando de se importar rapidamente o frango.

O ministro adiantou ainda que com a implementação deste programa, que poderá dar resultados a curto, médio e a longo prazo, vai facilitar também no aumento de rendas das famílias, bem como na multiplicação de postos de emprego para a população e de modo especial aos jovens.

O Governo angolano tem vindo a distribuir ao longo deste ano pintos para criação de galinhas um pouco por todo país, no âmbito do Programa de Fomento Avícola.

Falando no encontro de cortesia que manteve com o governador local, Pereira Alfredo, o ministro sublinhou que o fomento passa nas acções de sensibilização para que cada família produza galinhas, assim como estão a identificar associações, camponeses e famílias camponesas para serem assistidas na produção de frango.

A ideia, segundo o governante, é fazer com que o Executivo poupe o dinheiro da importação na aquisição de máquinas, formação, entre outros, para possibilitar que o país se torne o mais breve possível auto-suficiente alimentar, não só no que tange ao sector avícola mas também da pecuária.

Francisco de Assis pediu assim aos governos provinciais no sentido de ajudarem na sua estruturação, sensibilização e materialização, junto do interior das comunidades, de modo que cada funcionário ou não possa produzir aves em grande escala, deixando de se importar rapidamente o frango.

O ministro adiantou ainda que com a implementação deste programa, que poderá dar resultados a curto, médio e a longo prazo, vai facilitar também no aumento de rendas das famílias, bem como na multiplicação de postos de emprego para a população e de modo especial aos jovens.

O Governo angolano tem vindo a distribuir ao longo deste ano pintos para criação de galinhas um pouco por todo país, no âmbito do Programa de Fomento Avícola.