Facilcred financia mais de 430 projectos agrícolas

  • Fazendas agrícolas junto ao rio Bero, na Província do Namibe
Luanda - A sociedade de microcrédito “Facilcred” financiou, desde Junho de 2020 até a presente data, 439 projectos de negócios para pequenas e médias empresas angolanas, em todo país, com cerca de 438 milhões de kwanzas.

Dentre os projectos financiados, em parceria com o Banco de Negócios Internacional (BNI), o destaque vai para o sector da agricultura, com 367 projectos, implantados na província do Huambo.

 Do sector de processamento, comércio de peixe e pesca foram financiados 66 projectos, e dois no domínio do agro-negócio, e no de recolha de resíduos sólidos, logística e distribuição, sendo um para cada.

Segundo uma nota do Facilcred, que a ANGOP teve acesso hoje, os projectos estão a ser desenvolvidos nas províncias de Luanda, Huambo, e Namibe.

A intervenção do BNI, no processo, consiste na abertura e gestão das contas bancárias dos empreendedores, e através da operacionalização da linha de crédito do Facra, que faz parte do Programa de Alívio Económico.

O Alívio Económico foi criado em Abril 2020 para apoiar micro, pequenas e médias empresas a fazer face à crise provocada pela pandemia.

O BNI, na qualidade de parceiro, continuará a reforçar o apoio e o acompanhamento às pequenas e médias empresas nacionais com os seus novos centros de negócio espalhados por todo o país.

Na qualidade de parceiro, o Facilcred garante assistência às empresas dos diferentes sectores de actividade, com técnicos habilitados, esclarecendo o desenrolar de todo o processo, desde a sua formação para concessão do crédito até a implementação do projecto.

 

Os centros de negócios actuam com equipas proactivas, com um conjunto de soluções específicas para os clientes, garantindo apoio às empresas, permitindo que estas possam crescer e ter maior robustez a nível nacional.

Dentre os projectos financiados, em parceria com o Banco de Negócios Internacional (BNI), o destaque vai para o sector da agricultura, com 367 projectos, implantados na província do Huambo.

 Do sector de processamento, comércio de peixe e pesca foram financiados 66 projectos, e dois no domínio do agro-negócio, e no de recolha de resíduos sólidos, logística e distribuição, sendo um para cada.

Segundo uma nota do Facilcred, que a ANGOP teve acesso hoje, os projectos estão a ser desenvolvidos nas províncias de Luanda, Huambo, e Namibe.

A intervenção do BNI, no processo, consiste na abertura e gestão das contas bancárias dos empreendedores, e através da operacionalização da linha de crédito do Facra, que faz parte do Programa de Alívio Económico.

O Alívio Económico foi criado em Abril 2020 para apoiar micro, pequenas e médias empresas a fazer face à crise provocada pela pandemia.

O BNI, na qualidade de parceiro, continuará a reforçar o apoio e o acompanhamento às pequenas e médias empresas nacionais com os seus novos centros de negócio espalhados por todo o país.

Na qualidade de parceiro, o Facilcred garante assistência às empresas dos diferentes sectores de actividade, com técnicos habilitados, esclarecendo o desenrolar de todo o processo, desde a sua formação para concessão do crédito até a implementação do projecto.

 

Os centros de negócios actuam com equipas proactivas, com um conjunto de soluções específicas para os clientes, garantindo apoio às empresas, permitindo que estas possam crescer e ter maior robustez a nível nacional.