Fazenda Carimba aposta no aumento da produção de café

  • Estufa de Café da fazenda Carimba
  • Campo de Produção de Café
Sumbe – A Fazenda Carimba, localizada no município do Amboim, província do Cuanza Sul, vai produzir 54 toneladas de café por ano e superar as actuais 18, informou hoje, o seu director de produção, Pedro Cowen.

Em declarações à ANGOP, o responsável disse que iniciam nos próximos dias a plantação de café em 100 hectares, para sustentar o projecto e atingir nos próximos três anos a cifra de 54 toneladas deste produto.

“Temos uma estufa na fazenda com 25 mil mudas de café robusta e arábica, que apesar de estarem disponíveis à comercialização, servem essencialmente para o prosseguimento da plantação no campo experimental do projecto”, assegurou.

A produção actual cobre uma área de 40 hectares, iniciada há 10 anos, tendo exportado para Portugal, em 2020, 18 toneladas de café robusta.

Pedro Cowen fez saber que, com vista a mitigação do impacto da seca sobre as plantações, tem como estratégia a reposição florestal e a criação de pontos de retenção de água, para permitir o sombreamento do café em fase de floração e irrigação das novas plantas.

Ressaltou que a produção adoptada pela fazenda, que conta com 122 trabalhadores, maioritariamente mulheres, exige mão-de-obra elevada e presta-se especial atenção ao aprimoramento de novas técnicas.

“Por esta razão, a Fazenda está a adoptar técnicas de clonagens de espécies, fazendo recurso a outros países com tecnologia mais avançada, para melhorar a qualidade deste produto exportável", finalizou o especialista.

A Fazenda Carimba ocupa uma extensão de 850 hectares e está vocacionada à produção do café, principalmente robusta, espécie característica do município do Amboim, que num passado recente foi considerado das regiões de maior produção de café.

Em declarações à ANGOP, o responsável disse que iniciam nos próximos dias a plantação de café em 100 hectares, para sustentar o projecto e atingir nos próximos três anos a cifra de 54 toneladas deste produto.

“Temos uma estufa na fazenda com 25 mil mudas de café robusta e arábica, que apesar de estarem disponíveis à comercialização, servem essencialmente para o prosseguimento da plantação no campo experimental do projecto”, assegurou.

A produção actual cobre uma área de 40 hectares, iniciada há 10 anos, tendo exportado para Portugal, em 2020, 18 toneladas de café robusta.

Pedro Cowen fez saber que, com vista a mitigação do impacto da seca sobre as plantações, tem como estratégia a reposição florestal e a criação de pontos de retenção de água, para permitir o sombreamento do café em fase de floração e irrigação das novas plantas.

Ressaltou que a produção adoptada pela fazenda, que conta com 122 trabalhadores, maioritariamente mulheres, exige mão-de-obra elevada e presta-se especial atenção ao aprimoramento de novas técnicas.

“Por esta razão, a Fazenda está a adoptar técnicas de clonagens de espécies, fazendo recurso a outros países com tecnologia mais avançada, para melhorar a qualidade deste produto exportável", finalizou o especialista.

A Fazenda Carimba ocupa uma extensão de 850 hectares e está vocacionada à produção do café, principalmente robusta, espécie característica do município do Amboim, que num passado recente foi considerado das regiões de maior produção de café.