Fazenda Vinevala colhe mais de seis mil toneladas de cereais

Cuito – Seis mil e 200 toneladas de cereais serão colhidos na presente campanha agrícola na fazenda Vinevala, situada no município do Chinguar, província do Bié.

A informação foi prestada hoje à ANGOP, pelo seu proprietário, Alfeu Vinevala, quando perspectivava a colheita de diversos produtos do campo, tendo acrescentando que neste momento decorre a colheita de milho.

Alfeu Vinevala pontualizou que a fazenda vai colher quatro mil toneladas de milho, duas mil de trigo e 200 de feijão.

Segundo o agricultor, a fazenda teve que preparar mil e 800 hectares.

Referiu ainda que não teve prejuízos com a estiagem, que afectou a região, entre Janeiro e Fevereiro do corrente ano, por terem aberto uma vala de irrigação que salvou as culturas, mas teve perdas no cultivo do arroz, em cerca de 400 hectares, por causa do excesso de chuva, depois da estiagem.

A fazenda, desde que foi fundada, em 2002, teve como bandeira o cultivo da batata, até 2020.

Entretanto, este ano viu-se obrigado a deixar de produzir este tubérculo, por falta de pagamento dos devedores, cuja dívida ronda os 600 milhões de Kwanzas.

O fazendeiro Alfeu Vinevala optou agora pela produção de cereais, porque há no país muitos compradores.

A informação foi prestada hoje à ANGOP, pelo seu proprietário, Alfeu Vinevala, quando perspectivava a colheita de diversos produtos do campo, tendo acrescentando que neste momento decorre a colheita de milho.

Alfeu Vinevala pontualizou que a fazenda vai colher quatro mil toneladas de milho, duas mil de trigo e 200 de feijão.

Segundo o agricultor, a fazenda teve que preparar mil e 800 hectares.

Referiu ainda que não teve prejuízos com a estiagem, que afectou a região, entre Janeiro e Fevereiro do corrente ano, por terem aberto uma vala de irrigação que salvou as culturas, mas teve perdas no cultivo do arroz, em cerca de 400 hectares, por causa do excesso de chuva, depois da estiagem.

A fazenda, desde que foi fundada, em 2002, teve como bandeira o cultivo da batata, até 2020.

Entretanto, este ano viu-se obrigado a deixar de produzir este tubérculo, por falta de pagamento dos devedores, cuja dívida ronda os 600 milhões de Kwanzas.

O fazendeiro Alfeu Vinevala optou agora pela produção de cereais, porque há no país muitos compradores.