Fertilizantes subvencionados até 35%

  • Fertilizantes serão subvencionados
Humpata – O governo pode, ainda este ano, subvencionar, até 35 porcento, o preço dos fertilizantes para agricultores associados e escolas de campo, com vista a impulsionar a produção agrícola na presente campanha.

Os produtores terão uma subvenção em relação ao preço real do mercado e só pagarão o diferencial, segundo garantias dadas no Lubango, esta sexta-feira, pelo secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, João Cunha, após uma visita de campo ao município da Humpata, sublinhando que o governo está empenhado na obtenção de insumos agrícolas para atenuar a escassez no mercado nacional.

Fez saber que se está igualmente a incentivar alguns empresários a colocar no mercado quantidades importantes de fertilizantes, sementes de cereais e de hortícolas, mas as quantidades são ainda insuficientes para potenciar a actividade agrícola.

Considerou que muitas famílias, que trabalham no campo, estão desprovidas de sementes e inputs agrícolas, adiantando que o governo está a trabalhar na reposição dos stocks, no sentido de evitar a carência de fertilizantes.

Um outro desafio por si apontado está ligado aos investimentos do Executivo na construção de sistemas de retenção de água e um canal de rega, que está a ser construído na província do Cunene, para melhorar a prática da agricultura na região.

O governo, disse, vai igualmente atribuir pequenas moto-bombas às famílias afectadas pela seca, para poderem fazer uma agricultura irrigada e sustentável.

Outra aposta, salientou o secretário de Estado, passa pela reabilitaçáo das valas de irrigação das baixas dos rios das províncias da Huíla e do Cunene, como forma de melhor aproveitar as terras aráveis.

Depois do Lubango e Humpata, o secretário de Estado está a avaliar o quadro actual do SODMAT, na Matala.

Os produtores terão uma subvenção em relação ao preço real do mercado e só pagarão o diferencial, segundo garantias dadas no Lubango, esta sexta-feira, pelo secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, João Cunha, após uma visita de campo ao município da Humpata, sublinhando que o governo está empenhado na obtenção de insumos agrícolas para atenuar a escassez no mercado nacional.

Fez saber que se está igualmente a incentivar alguns empresários a colocar no mercado quantidades importantes de fertilizantes, sementes de cereais e de hortícolas, mas as quantidades são ainda insuficientes para potenciar a actividade agrícola.

Considerou que muitas famílias, que trabalham no campo, estão desprovidas de sementes e inputs agrícolas, adiantando que o governo está a trabalhar na reposição dos stocks, no sentido de evitar a carência de fertilizantes.

Um outro desafio por si apontado está ligado aos investimentos do Executivo na construção de sistemas de retenção de água e um canal de rega, que está a ser construído na província do Cunene, para melhorar a prática da agricultura na região.

O governo, disse, vai igualmente atribuir pequenas moto-bombas às famílias afectadas pela seca, para poderem fazer uma agricultura irrigada e sustentável.

Outra aposta, salientou o secretário de Estado, passa pela reabilitaçáo das valas de irrigação das baixas dos rios das províncias da Huíla e do Cunene, como forma de melhor aproveitar as terras aráveis.

Depois do Lubango e Humpata, o secretário de Estado está a avaliar o quadro actual do SODMAT, na Matala.