Governador defende instalação de fábrica de fertilizantes no Bié

Cuito - O governador do Bié, Pereira Alfredo, defendeu hoje, na cidade do Cuito, à necessidade do Executivo, através do Ministério da Agricultura e Pescas, instalar uma fábrica de fertilizantes nesta província, com vista atender a região centro e leste do país.

O governante, que falava no encontro de cortesia que manteve com o ministro desse sector, Francisco de Assis, sublinhou que a província tem condições que permitam construir uma fábrica de fertilizantes, visando acudir as mais de trezentas mil famílias camponesas controladas pelas autoridades.

O governador afirmou ainda que, com a instalação da fábrica de fertilizantes, o actual preço do adubo, que ronda os mais de 20 mil Kwanzas no Bié, poderá reduzir significativamente, assim como assistir os camponeses do Moxico, Huambo, Cuando Cubango, Lundas Norte e Sul, entre outras localidades.

Assegurou também que uma unidade fabril deste género permitirá que as famílias camponesas aumentam as áreas agricultáveis.

Pereira Alfredo apontou, por outro lado, ser necessário o apoio do ministério na aposta da agricultura mecanizada, ao invés da actual manual, que ainda acarreta muitos custos, assim como traz pouca produção de cereais e não só.

Por sua vez, o ministro da Agricultura e Pescas, Francisco de Assis, informou apenas existir já pretensão de empresários dos Emirados Árabes Unidos em produzir fertilizantes no país, até Dezembro do corrente ano.

O objectivo é permitir a redução significativa do preço do adubo, ureia e não só no mercado nacional.

Para reverter esta situação da subida dos preços, Francisco de Assis acrescentou que o Executivo vai subvencionar os fertilizantes, de modo que os camponeses não sintam muito o peso na aquisição destes produtos.

Frisou ainda que, dentro de uma semana, o Bié deverá recepcionar os fertilizantes, sem adiantar as quantidades.

Outrossim, destacou o desempenho das famílias camponesas no aumento da produção agrícola no país, na medida em que, segundo ele, mais de 90 por cento dos produtos alimentares em Angola provém desta franja, e que o Executivo está atento para apoiá-las cada vez mais.

O governante, que falava no encontro de cortesia que manteve com o ministro desse sector, Francisco de Assis, sublinhou que a província tem condições que permitam construir uma fábrica de fertilizantes, visando acudir as mais de trezentas mil famílias camponesas controladas pelas autoridades.

O governador afirmou ainda que, com a instalação da fábrica de fertilizantes, o actual preço do adubo, que ronda os mais de 20 mil Kwanzas no Bié, poderá reduzir significativamente, assim como assistir os camponeses do Moxico, Huambo, Cuando Cubango, Lundas Norte e Sul, entre outras localidades.

Assegurou também que uma unidade fabril deste género permitirá que as famílias camponesas aumentam as áreas agricultáveis.

Pereira Alfredo apontou, por outro lado, ser necessário o apoio do ministério na aposta da agricultura mecanizada, ao invés da actual manual, que ainda acarreta muitos custos, assim como traz pouca produção de cereais e não só.

Por sua vez, o ministro da Agricultura e Pescas, Francisco de Assis, informou apenas existir já pretensão de empresários dos Emirados Árabes Unidos em produzir fertilizantes no país, até Dezembro do corrente ano.

O objectivo é permitir a redução significativa do preço do adubo, ureia e não só no mercado nacional.

Para reverter esta situação da subida dos preços, Francisco de Assis acrescentou que o Executivo vai subvencionar os fertilizantes, de modo que os camponeses não sintam muito o peso na aquisição destes produtos.

Frisou ainda que, dentro de uma semana, o Bié deverá recepcionar os fertilizantes, sem adiantar as quantidades.

Outrossim, destacou o desempenho das famílias camponesas no aumento da produção agrícola no país, na medida em que, segundo ele, mais de 90 por cento dos produtos alimentares em Angola provém desta franja, e que o Executivo está atento para apoiá-las cada vez mais.