Governador do Cuanza Norte aponta agricultura para alavancar economia do país

Ndalantado- Angola deve apostar na agricultura auto sustentável e partir para a exportação, para sair da crise económica, afirmou, nesta sexta-feira, o governador do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho.

De acordo com o governante,  Angola, em particular,  a província do Cuanza Norte  tem condições para estar num patamar mais alto em termos agrícolas: tem rios, terras aráveis e chuva.

 O governador, que falava na tomada de posse do novo director provincial da Agricultura, Pescas e Pecuária, Manuel Fernandes Domingos, ressaltou que a província também se encontra num posição estratégica para o desenvolvimento, pois tem em funcionamento o sector de transporte ferroviário.

Apontou ainda as condições para a produção de fruta, tubérculos,  leguminosas e legumes.

Adriano de Carvalho pediu ao novo responsável para fazer um levantamento em relação à mecanização agrícola, áreas de produção, dados estatísticos de 2019, a previsão para este ano, assim como as perspectivas para 2021.

Conforme Adriano Mendes de Carvalho, é importante que se faça um levantamento para o aumento da produção e como se vai relançar o sector industrial, destacando a necessidade de mais incentivo à criação de cooperativas agrícolas e de blocos agrários para se dar aos jovens.

Por seu turno, o novo o director,  Manuel Fernandes Domingos, afirmou que as famílias camponesas têm estado a trabalhar muito, mas podem produzir mais, se haver uma forte aposta na mecanização  agrícola na região.

O objectivo, esclareceu,  é sair dos 2.8 hectares cultivados por família actualmente, para três a quatro e aumentar a produção.

Manuel Fernandes Domingos considerou que este propósito só será  alcançado se a preparação das terras deixar de ser manual, afirmando que será dado também especial atenção à capacitação dos técnicos do sector, dos líderes comunitários e dos camponeses, através das escolas de campo  para poderem levar às comunidades as boas práticas de cultivo.

Indicou que vai trabalhar também no reforço da aquisição de mais instrumentos agrícolas e sementes, para beneficiar mais famílias camponesas.

Manuel Domingos substitui no cargo Walter da Gloria Pimenta Demba, que dirigiu o sector durante cerca de quatro anos. Já desempenhou as funções de chefe do Departamento Provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário  (IDA), no Cuanza Norte  e dirigiu o durante 14 anos o Departamento da Agricultura da ONG americana Word Vision.

Em 2019, o governo do Cuanza Norte entregou 40 tractores com alfaias agricolas  e 20 charruas aos empresários agrícolas da província, para o fomento da producão agrícola e  aumento dos níveis de produção.

No âmbito do projecto de repovoamento animal no Planalto da Camabatela, na sequência de um acordo assinado com o Tchad, Angola começou a receber, em Março, as primeiras cinco mil cabeças de um total de 75 a serem entregues nos próximos cinco anos.

O gado que o país recebe resulta do pagamento de uma dívida do Tchad para com Angola avaliada em 100 milhões de dólares, convertida no fornecimento de gado.

O novo titular da Agricultura, Pescas e Pecuária,   Manuel Fernandes Domingos,  afirmou, em declarações à imprensa, que vai apostar no aumento da produção, através da preparação mecanizada de terras e aumento de áreas agrícolas.

 

De acordo com o governante,  Angola, em particular,  a província do Cuanza Norte  tem condições para estar num patamar mais alto em termos agrícolas: tem rios, terras aráveis e chuva.

 O governador, que falava na tomada de posse do novo director provincial da Agricultura, Pescas e Pecuária, Manuel Fernandes Domingos, ressaltou que a província também se encontra num posição estratégica para o desenvolvimento, pois tem em funcionamento o sector de transporte ferroviário.

Apontou ainda as condições para a produção de fruta, tubérculos,  leguminosas e legumes.

Adriano de Carvalho pediu ao novo responsável para fazer um levantamento em relação à mecanização agrícola, áreas de produção, dados estatísticos de 2019, a previsão para este ano, assim como as perspectivas para 2021.

Conforme Adriano Mendes de Carvalho, é importante que se faça um levantamento para o aumento da produção e como se vai relançar o sector industrial, destacando a necessidade de mais incentivo à criação de cooperativas agrícolas e de blocos agrários para se dar aos jovens.

Por seu turno, o novo o director,  Manuel Fernandes Domingos, afirmou que as famílias camponesas têm estado a trabalhar muito, mas podem produzir mais, se haver uma forte aposta na mecanização  agrícola na região.

O objectivo, esclareceu,  é sair dos 2.8 hectares cultivados por família actualmente, para três a quatro e aumentar a produção.

Manuel Fernandes Domingos considerou que este propósito só será  alcançado se a preparação das terras deixar de ser manual, afirmando que será dado também especial atenção à capacitação dos técnicos do sector, dos líderes comunitários e dos camponeses, através das escolas de campo  para poderem levar às comunidades as boas práticas de cultivo.

Indicou que vai trabalhar também no reforço da aquisição de mais instrumentos agrícolas e sementes, para beneficiar mais famílias camponesas.

Manuel Domingos substitui no cargo Walter da Gloria Pimenta Demba, que dirigiu o sector durante cerca de quatro anos. Já desempenhou as funções de chefe do Departamento Provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário  (IDA), no Cuanza Norte  e dirigiu o durante 14 anos o Departamento da Agricultura da ONG americana Word Vision.

Em 2019, o governo do Cuanza Norte entregou 40 tractores com alfaias agricolas  e 20 charruas aos empresários agrícolas da província, para o fomento da producão agrícola e  aumento dos níveis de produção.

No âmbito do projecto de repovoamento animal no Planalto da Camabatela, na sequência de um acordo assinado com o Tchad, Angola começou a receber, em Março, as primeiras cinco mil cabeças de um total de 75 a serem entregues nos próximos cinco anos.

O gado que o país recebe resulta do pagamento de uma dívida do Tchad para com Angola avaliada em 100 milhões de dólares, convertida no fornecimento de gado.

O novo titular da Agricultura, Pescas e Pecuária,   Manuel Fernandes Domingos,  afirmou, em declarações à imprensa, que vai apostar no aumento da produção, através da preparação mecanizada de terras e aumento de áreas agrícolas.