Governo subvenciona fertilizantes com Kz 17 mil milhões

  • Sacos de fertilizantes (Arquivo)
Luanda - Cerca de 17 mil milhões de kwanzas foram disponibilizados pelo Governo para subvencionar mais de 30 mil toneladas de fertilizantes compostos e adubos simples para a campanha agrícola 2021/22, revelou, terça-feira, João Bartolomeu da Cunha.

O secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária sublinhou que o país tem estado a importar em média cerca de 50 mil toneladas de fertilizantes, capacidade que considera insuficiente em função da dinâmica actual.

O responsável explicou que a pretensão passa por sair dos 5.7 milhões de hectares actuais para cerca de 8 milhões de hectares que exigiria uma disponibilidade de fertilizantes na ordem de 160 mil toneladas/ano.

“Isso tem custos, é um produto importado, vamos trabalhar para num futuro breve podermos chegar a 160 mil toneladas ano”, frisou.

De acordo com o secretário de Estado, o país tem disponíveis cerca de 35 milhões de hectares, estando a produzir actualmente 5.7 milhões.

Desse potencial, acrescentou, mais de 90% é trabalhada pela agricultura familiar, existindo ainda uma margem muito grande para poder tornar o país numa grande potência agrícola.

Reforçou que o Executivo está a fazer um esforço muito grande para potenciar a agricultura familiar, que tem como principais instrumentos de trabalho a catana e a enxada, daí que o Instituto de Desenvolvimento Agrário tem estado a injectar algum equipamento para modernizar essa catividade.

Neste particular, o responsável destacou as charruas de tracção animal, motos, moto bombas e semeadores manuais, com vista a modernizar a agricultar familiar para obtenção de melhores resultados.

Questionado sobre o balanço da campanha agrícola anterior, adiantou que será feito um balanço nos próximos dias, mas o país continua a ter défice na produção de grão, com particular destaque a cultura do milho, soja e feijão.

Em relação a subida do preço dos fertilizantes no mercado nacional, justificou que resulta do aumento substancial no mercado internacional, onde o preço do adubo 12/24/12 regista um acréscimo de cerca de 400 USD.

Entretanto, a tonelada que estava a USD 250, actualmente está a volta de 400 dólares a tonelada, devido ao preço do frete do navio.  

O presidente do Conselho de Administração (PCA) do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Agrário (FADA), Carlos Fernandes, disse que depois de ser realizado um concurso para o processo de subvenção, o Governo vai poupar cerca de 803 milhões de kwanzas.

Frisou que a subvenção vai ser feita a ordem de 35%, onde cada saco de 50 kg vai custar 5 mil kwanzas.

De acordo com o PCA, nesta fase, o agricultor vai pagar 65 %, devendo entregar o diferencial no prazo de um ano.

A campanha agrícola 2021/2022 foi aberta em Setembro, na zona do Tumpo, município do Cuito Cuanavale, Cuando Cubango, pelo ministro da Agricultura e Pescas, António Assis.

O secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária sublinhou que o país tem estado a importar em média cerca de 50 mil toneladas de fertilizantes, capacidade que considera insuficiente em função da dinâmica actual.

O responsável explicou que a pretensão passa por sair dos 5.7 milhões de hectares actuais para cerca de 8 milhões de hectares que exigiria uma disponibilidade de fertilizantes na ordem de 160 mil toneladas/ano.

“Isso tem custos, é um produto importado, vamos trabalhar para num futuro breve podermos chegar a 160 mil toneladas ano”, frisou.

De acordo com o secretário de Estado, o país tem disponíveis cerca de 35 milhões de hectares, estando a produzir actualmente 5.7 milhões.

Desse potencial, acrescentou, mais de 90% é trabalhada pela agricultura familiar, existindo ainda uma margem muito grande para poder tornar o país numa grande potência agrícola.

Reforçou que o Executivo está a fazer um esforço muito grande para potenciar a agricultura familiar, que tem como principais instrumentos de trabalho a catana e a enxada, daí que o Instituto de Desenvolvimento Agrário tem estado a injectar algum equipamento para modernizar essa catividade.

Neste particular, o responsável destacou as charruas de tracção animal, motos, moto bombas e semeadores manuais, com vista a modernizar a agricultar familiar para obtenção de melhores resultados.

Questionado sobre o balanço da campanha agrícola anterior, adiantou que será feito um balanço nos próximos dias, mas o país continua a ter défice na produção de grão, com particular destaque a cultura do milho, soja e feijão.

Em relação a subida do preço dos fertilizantes no mercado nacional, justificou que resulta do aumento substancial no mercado internacional, onde o preço do adubo 12/24/12 regista um acréscimo de cerca de 400 USD.

Entretanto, a tonelada que estava a USD 250, actualmente está a volta de 400 dólares a tonelada, devido ao preço do frete do navio.  

O presidente do Conselho de Administração (PCA) do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Agrário (FADA), Carlos Fernandes, disse que depois de ser realizado um concurso para o processo de subvenção, o Governo vai poupar cerca de 803 milhões de kwanzas.

Frisou que a subvenção vai ser feita a ordem de 35%, onde cada saco de 50 kg vai custar 5 mil kwanzas.

De acordo com o PCA, nesta fase, o agricultor vai pagar 65 %, devendo entregar o diferencial no prazo de um ano.

A campanha agrícola 2021/2022 foi aberta em Setembro, na zona do Tumpo, município do Cuito Cuanavale, Cuando Cubango, pelo ministro da Agricultura e Pescas, António Assis.