Mil e 500 famílias inseridas na agricultura nas margens do rio Cunene

  • Familias camponesas beneficiam de meios de produção agrícola
  • Familias camponesas beneficiam de meios de produção agrícola
Ombadja - Mil e 500 famílias desenvolvem actividade agrícola, na presente campanha, nas margens do rio Cunene e Cuvelai, no ambito do projecto de adaptação dos sistemas agrários à melhoria da segurança alimentar.

As  famílias, repartidas em 30 grupos, beneficiaram, terça-feira, de moto bombas, enxadas, sementes de milho, feijão e de hortícolas, visando uma boa colheita este ano.

O projecto, orçado em 777 mil 778 euros, financiados pela União Europeia, está a ser executados pela Fundação CODESPA, em parceria com a Organização Não Governamental (ONG) Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP).

Com um período de execução de quatro anos, o mesmo projecto conta, no município de Ombadja, com 18 escolas de campo e outras 12 no de Cuvelai.

Em declarações à imprensa, no final  da visita  a duas escolas de campo, o delegado da CODESPA em Angola, Juan Molina, explicou que o projecto visa adaptar os sistemas agrícolas das famílias, face aos efeitos da seca que afecta a região nos últimos anos.

Fez saber que em 2020 foi a fase de experimentação das culturas e este ano a aposta vai recair para uma produção considerável.

Informou que foram disponibilizados 30 hectares com sistema de irrigação gota-a-gota, que poderão permitir aos benificiários ter uma mínima disponibilidade alimentar.

Por seu turno,  a chefe de departamento do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) no Cunene,  Anita Esperança,  disse que essas escolas de campo poderão produzir quatro vezes por ano.

Explicou que foram distribuídas quantidades de sementes melhoradas de milho, feijao, mandioca, entre outros, para um período de  três meses. 

As  famílias, repartidas em 30 grupos, beneficiaram, terça-feira, de moto bombas, enxadas, sementes de milho, feijão e de hortícolas, visando uma boa colheita este ano.

O projecto, orçado em 777 mil 778 euros, financiados pela União Europeia, está a ser executados pela Fundação CODESPA, em parceria com a Organização Não Governamental (ONG) Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP).

Com um período de execução de quatro anos, o mesmo projecto conta, no município de Ombadja, com 18 escolas de campo e outras 12 no de Cuvelai.

Em declarações à imprensa, no final  da visita  a duas escolas de campo, o delegado da CODESPA em Angola, Juan Molina, explicou que o projecto visa adaptar os sistemas agrícolas das famílias, face aos efeitos da seca que afecta a região nos últimos anos.

Fez saber que em 2020 foi a fase de experimentação das culturas e este ano a aposta vai recair para uma produção considerável.

Informou que foram disponibilizados 30 hectares com sistema de irrigação gota-a-gota, que poderão permitir aos benificiários ter uma mínima disponibilidade alimentar.

Por seu turno,  a chefe de departamento do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) no Cunene,  Anita Esperança,  disse que essas escolas de campo poderão produzir quatro vezes por ano.

Explicou que foram distribuídas quantidades de sementes melhoradas de milho, feijao, mandioca, entre outros, para um período de  três meses.