Mais de setecentos hectares destruídos pela praga de gafanhotos

  • Combate a praga de gafanhotos no Cunene
Moçâmedes- Mais de setecentos hectares de terras cultivadas na província do Namibe foram destruídas, desde o mês de Abril a presente data, pela praga de gafanhotos.

Como consequência, mil e 600 famílias perderam as suas lavras, deixando-as  mais vulneráveis face à fome.

Para além dos campos agrícolas, a praga destruiu igualmente zonas de pastos,  sendo o município do Virei o mais preocupante, onde 90 por cento áreas com capim para os animais foram destruídas.

Em declarações hoje à Angop, o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Zonza Puisa, detalhou que no município do Virei  foram destruídos  542 hectares de campos cultivados, Moçâmedes 127, Tômbwa 32, Bibala 16 e Camucuio 10 .

Apesar da situação ser considerada neste momento estável, o responsável disse existir ainda algumas zonas  criticas, concretamente, no município do Virei e Moçâmedes, mas  esforços estão a ser envidados para identificar as áreas ainda afectadas para, posteriormente, desinfestação.

As famílias afectadas, segundo o director, estão a receber do governo da província bens  alimentares, para além de que, os camponeses  estão a ser formados sobre o métodos de produção, uso correcto de fertilizantes e prevenção das pragas.

Mais meios para combater a praga

Hoje, a província do Namibe recebeu da empresa petrolífera EXXON MOBIL mais meios para o combate da praga de gafanhotos, composto por máquinas de pulverização,  insecticidas e material de protecção.

Os meios estão avaliados em 35 mil dólares norte-americanos.

Na cerimónia de entrega, o governador do Namibe, Archer Mangueira, agradeceu a ajuda, que visa proteger  a produção agrícola ainda poupada pelos insectos.

Como consequência, mil e 600 famílias perderam as suas lavras, deixando-as  mais vulneráveis face à fome.

Para além dos campos agrícolas, a praga destruiu igualmente zonas de pastos,  sendo o município do Virei o mais preocupante, onde 90 por cento áreas com capim para os animais foram destruídas.

Em declarações hoje à Angop, o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Zonza Puisa, detalhou que no município do Virei  foram destruídos  542 hectares de campos cultivados, Moçâmedes 127, Tômbwa 32, Bibala 16 e Camucuio 10 .

Apesar da situação ser considerada neste momento estável, o responsável disse existir ainda algumas zonas  criticas, concretamente, no município do Virei e Moçâmedes, mas  esforços estão a ser envidados para identificar as áreas ainda afectadas para, posteriormente, desinfestação.

As famílias afectadas, segundo o director, estão a receber do governo da província bens  alimentares, para além de que, os camponeses  estão a ser formados sobre o métodos de produção, uso correcto de fertilizantes e prevenção das pragas.

Mais meios para combater a praga

Hoje, a província do Namibe recebeu da empresa petrolífera EXXON MOBIL mais meios para o combate da praga de gafanhotos, composto por máquinas de pulverização,  insecticidas e material de protecção.

Os meios estão avaliados em 35 mil dólares norte-americanos.

Na cerimónia de entrega, o governador do Namibe, Archer Mangueira, agradeceu a ajuda, que visa proteger  a produção agrícola ainda poupada pelos insectos.