Namibe quer recuperar mística na produção de frutas

  • Produção de banana no Namibe
Moçâmedes – Agricultores da província do Namibe têm apostado, nos últimos dois anos, no aumento da produção de frutas, sobretudo de citrinos, levando pequenos empreendedores a enveredar pela sua transformação.

Na campanha agrícola 2020/2021 houve uma produção de 11 mil 810 toneladas de frutas diversas. Apesar dos números registarem uma redução de quase duas mil toneladas, em relação ao idêntico período anterior, ainda assim a safra é considerada satisfatória pelas autoridades do sector.

Actualmente conhecida como a maior produtora de tomate a nível do país, a província também tem produzido em grande escala limão, laranja, tangerina, manga, goiaba, entre outros, de modo a recuperar o lugar de destaque que já ocupou nos longínquos anos 50.

Os municípios de Moçamedes e da Bibala são os que mais se destacam neste segmento agrícola.

Em declarações à Angop, o director do Gabinete Provincial Da Agricultura e Floresta, Zonza Puissa, disse que, apesar das fazendas produtoras de frutas debaterem-se com inúmeras dificuldades concernente à falta de meios de trabalho e sementes, ainda é satisfatória a produção.

Para impulsionar a actividade, disse que algumas fazendas adquiriram, nos últimos quatro anos, algumas espécies provenientes da África do Sul, que também já estão a dar frutos.

Segundo o responsável, a produção de frutos tem motivado centenas de jovens empreendedores a transformar em doces para comercializar, colocando-os em pequenos potes onde são conservados.

Com base nesta iniciativa dos jovens empreendedores, disse que o sector está a encetar contactos com empresários locais e estrangeiros para que estes possam investir nesta indústria transformadora, no sentido de minimizar os desperdícios.

Zonza Puissa lamentou o facto de, nas zonas de difícil acesso, os frutos deteriorarem-se por dificuldades de transporte para o escoamento.

Para aqueles que possuem meios, os frutos são comercializados nos mercados do município de Moçâmedes e nas províncias da Huíla, Cunene, Benguela, Luanda, Uíge e Malange.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na campanha agrícola 2020/2021 houve uma produção de 11 mil 810 toneladas de frutas diversas. Apesar dos números registarem uma redução de quase duas mil toneladas, em relação ao idêntico período anterior, ainda assim a safra é considerada satisfatória pelas autoridades do sector.

Actualmente conhecida como a maior produtora de tomate a nível do país, a província também tem produzido em grande escala limão, laranja, tangerina, manga, goiaba, entre outros, de modo a recuperar o lugar de destaque que já ocupou nos longínquos anos 50.

Os municípios de Moçamedes e da Bibala são os que mais se destacam neste segmento agrícola.

Em declarações à Angop, o director do Gabinete Provincial Da Agricultura e Floresta, Zonza Puissa, disse que, apesar das fazendas produtoras de frutas debaterem-se com inúmeras dificuldades concernente à falta de meios de trabalho e sementes, ainda é satisfatória a produção.

Para impulsionar a actividade, disse que algumas fazendas adquiriram, nos últimos quatro anos, algumas espécies provenientes da África do Sul, que também já estão a dar frutos.

Segundo o responsável, a produção de frutos tem motivado centenas de jovens empreendedores a transformar em doces para comercializar, colocando-os em pequenos potes onde são conservados.

Com base nesta iniciativa dos jovens empreendedores, disse que o sector está a encetar contactos com empresários locais e estrangeiros para que estes possam investir nesta indústria transformadora, no sentido de minimizar os desperdícios.

Zonza Puissa lamentou o facto de, nas zonas de difícil acesso, os frutos deteriorarem-se por dificuldades de transporte para o escoamento.

Para aqueles que possuem meios, os frutos são comercializados nos mercados do município de Moçâmedes e nas províncias da Huíla, Cunene, Benguela, Luanda, Uíge e Malange.