Criadores negam vacinar gado por desconfiarem da vacina

  • Campanha de vacinação de gado
Sumbe – Criadores de gado bovino do município do Porto Amboim, província do Cuanza Sul, negaram-se a imunizar os seus animais, na última campanha de vacinação, por alegada desconfiança dos possíveis efeitos colaterais da vacina, soube esta segunda-feira a Angop.

Os serviços de veterinária previam vacinar 60 mil cabeças, mas, devido a pouca aderência dos criadores, só imunizaram 22 mil 778 bovinos, contra a peripneumonia contagiosa e carbúnculo hermético.

Sgundo apurou a Angop, os criadores temem que a vacina possa provocar a morte dos seus animais.

Entretanto, o director do Gabinete Provincial da Agricultura, Laurindo Chambula Ladeira, realçou a importância da sanidade dos animais para a vida dos próprios consumidores e anunciou a intensificação de campanhas de sensibilização e encontros com sobas, para persuadirem os criadores a aderiram a campanha de vacinação dos seus animais, porque ainda há disponibilidade de vacinas.

Por sua vez, o presidente da Associação dos Criadores de Gado no Cuanza Sul, Francisco Figueiredo Júnior, lamentou a atitude dos criadores, que se negaram a imunizar os animais, e reiterou que a intenção do Governo é apenas proteger os animais de doenças.

Na província, a associação controla mais de 140 mil cabeças de gado e cerca de 470 criadores, entre pequenos, médios e grandes, sendo o município de Cassongue o com maior criador de animais.

Os serviços de veterinária previam vacinar 60 mil cabeças, mas, devido a pouca aderência dos criadores, só imunizaram 22 mil 778 bovinos, contra a peripneumonia contagiosa e carbúnculo hermético.

Sgundo apurou a Angop, os criadores temem que a vacina possa provocar a morte dos seus animais.

Entretanto, o director do Gabinete Provincial da Agricultura, Laurindo Chambula Ladeira, realçou a importância da sanidade dos animais para a vida dos próprios consumidores e anunciou a intensificação de campanhas de sensibilização e encontros com sobas, para persuadirem os criadores a aderiram a campanha de vacinação dos seus animais, porque ainda há disponibilidade de vacinas.

Por sua vez, o presidente da Associação dos Criadores de Gado no Cuanza Sul, Francisco Figueiredo Júnior, lamentou a atitude dos criadores, que se negaram a imunizar os animais, e reiterou que a intenção do Governo é apenas proteger os animais de doenças.

Na província, a associação controla mais de 140 mil cabeças de gado e cerca de 470 criadores, entre pequenos, médios e grandes, sendo o município de Cassongue o com maior criador de animais.